quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Tempo de Espera, Tempo de Vipassana

Documentário sobre a prática da meditação vipassana em um presídio da Índia. Depois que a diretora do presídio adota a meditação vipassana como prática regular,os presos se transformam de forma surpreendente.



Fonte

Dhamma Brothers - Vipassana

Na prisão de Segurança máxima de Donaldson, no Alabama, onde tem um população carcerária de mais de mil homens, todos cumprindo prisão perpétua ou pena de morte. É uma prisão que registra o maior índice de violência entre detentos  dos Estados Unidos.

É conhecida como “A Casa do Sofrimento” no sistema prisional de lá.

O psicólogo Dr. Ron Cavanaugh resolveu introduzir meditação vipassana nesta prisão. Ele se espelhou em um exemplo que leu na Índia e resolveu testá-lo.

O resultado você vê neste fantástico documentário que exibe às histórias de 36 detentos que passam pela experiência e suas mudanças.

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Por que abandonei o xamanismo (Dario Takoba)

Do ENEM 2016: "Índio é um conceito construído no processo de conquista da América pelos Europeus. Desinteressados pela diversidade cultural, imbuídos de forte preconceito para com o outro, o indivíduo de outras culturas, espanhóis, portugueses, franceses e anglo-saxões terminaram por denominar da mesma forma povos tão díspares quanto os Tupinambás e Astecas".

Para quem não me conhece, caminhei no xamanismo por muitos anos, toquei tambor em volta do fogo, participei de tendas do suor, fumei cachimbo, defumei com sálvia branca, acendi palos santos, bebi ayahuasca com índios e não índios. Dei palestras, realizei rituais, me divulguei como xamã, mas um dia isso tudo acabou. 

Sempre fui um buscador e nessa busca nunca me contentei com pouco conhecimento. Depois que todos os cursos que eu podia fazer sobre xamanismo terminaram, passei a pesquisar por conta própria. Vi muitos documentários onde o índio tinha voz, li muitos livros de pesquisadores, notando que existia uma enorme diferença entre o que os índios falavam de suas próprias práticas espirituais e o que os “xamãs brancos” falavam em suas palestras e cursos. Finalmente entendi que eu estava iludido e que jamais poderia ser um Xamã. Nesse dia, abandonei o xamanismo. Não pense que foi fácil, nunca é fácil romper com as ilusões.

Sabe por que abandonei o xamanismo? Notei que existiam dois mundos... De um lado um bando de homem branco dando cursos de conhecimentos indígenas e do outro um bando de indígenas passando fome e lutando para não ter suas vidas e culturas destruídas. Essa polaridade me fez acordar.

É preciso compreender que índio não pratica xamanismo, porque xamanismo é invenção do homem branco. O Homem branco olhou pros povos nativos, não entendeu metade da profundidade por trás das práticas religiosas deles, e, como a religião de um povo meio que parecia com a de outro povo nativo, o branco acabou por botar todas dentro do mesmo balaio, como se todos aqueles que tiram seu sustento da natureza acreditassem nas mesmas coisas e tivessem a mesma visão de mundo, coisa que não tem. Cada povo nativo tem sua religião específica, com dogmas e rituais próprios. Generalizar culturas e suas tradições é uma forma de exterminá-las. 

O sacerdote do povo Lakota, povo nativo norte-americano, é chamado de WICHASCA WAKAN, aquele que fuma o cachimbo sagrado e passa as mensagens do Grande Espírito para curar seu povo. O sacerdote do povo Guarani é o KARAI, aquele que conversa com a Onça Floresta e busca as ervas para trazer a cura para seu povo. O sacerdote do povo Evenki é o SAMA (xamã), aquele que evoca os Tengers (que são os espíritos da Sibéria) com o tambor dentro de uma tenda escura para curar o seu povo.  Wichasca Wakan não é Karai, Karai não é Sama, Sama não é Wichasca Wakan. Grande Espírito não é Onça Floresta, Onça Floresta não é Tengers, Tengers não é Grande Espírito. 

A única semelhança do sacerdote de um povo nativo para outro é a função, curar o seu povo. Cada povo precisa de remédios físicos e espirituais típicos de sua região, coisa que só o sacerdote específico de cada povo pode saber. Para mim, não tem coisa mais triste que o representante de um povo nativo vir a público dizer que pratica xamanismo, isso só mostra o quanto ele foi contaminado por nossas visões limitadas de homem branco. Índio não precisa ser definido pelo homem branco, eles são capazes de fazer isso muito bem sozinhos. 

Essa é uma questão de direito de fala, estamos há muito tempo nos achando no direito de sermos os porta-vozes do que não vivemos ou não conhecemos a fundo. Se alguém tem que falar sobre eles, são eles mesmos. Quanto a nos, cabe somente lhes dar espaços de fala para que eles sejam ouvidos. Criar espaço de fala não é se calar sobre o assunto, mas sim falar do assunto de uma maneira mais consciente do nosso papel para com essa estrutura torta. Somos todos responsáveis!

Por muito tempo eu fiquei pensando: "Quem sou eu na fila do pão pra ensinar ou dar cursos sobre uma cultura ou tradição na qual eu não cresci e que por tanto não me pertence?”. A resposta: Ninguém. Por esse motivo, hoje não me divulgo como Xamã, nem falo sobre rituais e dogmas religiosos de nenhuma tribo. Prefiro falar da minha avó e da relação que ela me ensinou a ter com as plantas, ou então, dos meus momentos de meditação no meio do mato. Falar de mim e da minha própria relação íntima com o que considero sagrado, isso me parece muito mais correto, pois é a minha verdade vivida e não a de outra gente. Valorizar a cultura do outro, sem a necessidade de tomar ela para mim, isso é valorizar a mim mesmo, isso é ser honesto!

As vantagens do cultivo orgânico de açaí

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

A Felicidade não é um destino. (Flávio Passos)

Qual é o seu número?

Quanto $ você precisa ganhar para poder se considerar alguém feliz?

Quanto você precisa comprar, obter, possuir e ser dono para se considerar "um sucesso"?
Quanta atenção, reconhecimento, aplauso, medalhas e olhares de admiração (ou desejo) você precisa receber para se considerar satisfeito?

Até onde é preciso chegar para se permitir o contentamento? Para sorrir para si mesmo e transformar-se em agradecimento?

Uma vez que estas são algumas das motivações que impulsionam os esforços de uma significativa parcela de humanos, é inteligente se fazer estas perguntas de uma forma objetiva. De uma forma honesta.

Isto gera clareza de para onde você quer ir.

Porém, em seguida, seria também útil se perguntar:

"Quem em mim deseja estes objetivos?

Será que eu sou este alguém?"

Desejos são como pensamentos imbuídos de emoção.

Pensamentos originais são relativamente raros. A maioria deles são emprestados. Da cultura, dos pais, dos amigos, da mídia.

Porém, a emoção é sempre pessoal. Se algo move sua energia (e-motion), há um sentimento dentro de você que ressoa com isto.

Então, caberia perguntar-se: onde em mim está a carência que se veste de tantos pensamentos e desejos para me convencer que preciso de algo para ser feliz?

O que há dentro de mim que sustenta a crença de que não posso ser feliz agora mesmo? Aqui, onde estou, simplesmente por estar vivo?

Fazer-se estas perguntas de tempos em tempos ajuda a recalibrar a própria percepção da consciência.

Afinal, a Felicidade não é um destino. Ela é um meio de transporte, disponível aos habilidosos que aprendem a manejar a própria mente e escolher a realidade sobre qualquer ilusão.

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Tire 10-15 min por dia para caminhar descalço na grama.

Tire 10-15 min por dia para caminhar descalço na grama. Uma coisa simples assim pode ajudar a reduzir o cortisol, ajuda a descarregar um pouco da poluição eletromagnética, e estando ao ar livre ainda temos o bônus de estimular a produção de vitamina d. E além de tudo isso, é bom demais!

Dieta de baixo carboidrato pode ser mais eficiente do que medicamentos antipsicóticos, afirma um psiquiatra de Harvard

Dieta de baixo carboidrato pode ser mais eficiente do que medicamentos antipsicóticos, afirma um psiquiatra de Harvard

Os benefícios de uma dieta de baixo carboidrato para o equilíbrio do sistema nervoso já é um fato bem solidificado na ciência. A dieta cetogênica, por exemplo, é utilizada para o tratamento de epilepsia e desordens parecidas há décadas, com resultados positivos comprovados.

Recentemente, numa conferência de Psiquiatria, o Dr. Chris Palmer apresentou resultados terapêuticos surpreendentes em casos de uma desordem psicótica esquizoafetiva.

Ele relatou em detalhes o caso de dois pacientes, que já estavam sob tratamento convencional há anos, sendo que um deles já havia tentado doze medicamentos diferentes e o segundo, dezessete. A dieta de baixo carboidrato resultou em melhorias bem superiores aos medicamentos, e diferentemente destes, com “efeitos colaterais” positivos, como perda de peso e redução nos níveis de insulina.

Durante sua apresentação, o Dr. Palmer afirmou que os resultados foram dramáticos e começaram a aparecer depois de 3 semanas, melhorando ao longo do tempo. 

Embora surpreendentes dentro do paradigma convencional da medicina, estes resultados não são raros e esta abordagem terapêutica incluindo mudanças na alimentação e no estilo de vida certamente ainda vai revolucionar a vida de muita gente.

Vale a pena relembrar o antigo conselho de Hipócrates: “Faça do seu alimento o seu remédio”. 


Saboreie a vida. (Flávio Passos)

Saboreie a vida.

Não apenas os prazeres usuais... saboreie tudo, saboreie a todos.

A pessoa que está te servindo, ou a pessoa a quem você está servindo. A brisa que acaricia sua pele enquanto você caminha. A quietude da manhã. Seu tempo com a pessoa amada. Seu tempo sozinho. Sua respiração enquanto você medita. Saboreie. Desfrute.

Ocupe-se mais em ouvir do que em falar. Saboreie a perspectiva do outro.

Saboreie sua alegria. Saboreie suas dores. Sinta-as. Não fuja daquilo que você precisa aprender. Saborear o desconforto é o que transforma chumbo em ouro.

A vida passa rápido demais para você não prestar atenção nela.

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Felicidade

O que você está fazendo a respeito?

Pela primeira vez na história os cientistas encontraram resíduos de fibras de plástico e outros quimicos em estômagos de criaturas marinhas que vivem no fundo do oceano mais profundo da Terra - na Trincheira de Mariana.
Os resultados chocantes mostram que nenhuma parte dos oceanos do mundo permanece inalterada pela poluição humana.
Verificou-se que 100% das criaturas analisadas ingeriu alguma forma de material sintético, incluindo nylon, PVC e PVA.
O Dr. Alan Jamieson, professor de ecologia marinha e líder do estudo, disse que os resultados foram "imediatos e surpreendentes".
"Esta é uma descoberta muito preocupante. Isolar fibras plásticas de dentro de animais de quase 11 km de profundidade mostra a extensão do problema ".
"Isso é global", acrescentou.
Elena Polisano, Oceans Campaigner para Greenpeace UK, disse: "Os resíduos de plástico foram descobertos em todos os lugares. Está no Ártico, no meio do Pacífico, no fundo da Trincheira das Marianas, em baleias, tartarugas e até 90% das aves marinhas.
"Nós estamos produzindo mais e mais embalagens descartáveis, e isso vai durar séculos. Não se trata de indivíduos irresponsáveis que estão sendo desarticulados, trata-se de uma indústria produzindo trilhões de itens plásticos descartáveis de uso único - sacos, garrafas, etc. - sem pensar nas conseqüências.
Precisamos repensar de forma urgente como usamos o plástico, e em como ele deve ser recolhido e reciclado".
Mais de oito milhões de toneladas de plástico circulam nos oceanos todos os anos. Com uma estimativa de 300 milhões de toneladas de resíduos que agora arrasa nossos mares, estima-se que haverá mais plástico do que peixes até 2050.
Pensa-se que nossos mares agora contêm cerca de 51 trilhões de partículas microplasticas - 500 vezes mais do que o número de estrelas em nossa galáxia.
Esta poluição está prejudicando mais de 600 espécies em todo o mundo, em meio ao que muitos agora consideram como a sexta extinção em massa da vida na Terra.
O que você está fazendo a respeito?
📸: Justin Hofman

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

'Estamos comendo veneno'

[...] o dossiê mostra que, das 50 amostras testadas, 30 continham resíduos tóxicos. Dessas, 13 apresentavam agrotóxicos não permitidos no Brasil. Caso do procloraz, encontrado em duas amostras de mamão.
Duas amostras de pimentão apresentaram sete tipos de substâncias diferentes, incluindo agrotóxicos proibidos para este alimento. Além disso, banana e laranja vieram com níveis de agrotóxicos acima do limite máximo permitido pela Anvisa.

O Congresso Internacional de Nutrição deveria dar Coca aos participantes?

[...] No manifesto, os delegados do congresso lamentavam a qualidade da alimentação servida aos mais de três mil participantes, que haviam se deslocado de todas as partes do mundo e pago até US$ 1.150 para ter acesso às palestras. No primeiro dia, a caixa de lanche e fruta veio acompanhada por uma garrafa de Coca-Cola.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

15 mil cientistas advertem sobre destino terrível da humanidade

A "Advertência dos Cientistas à Humanidade: Segundo Aviso", assinada por 15.372 cientistas de 184 países e publicada nesta segunda-feira (13) na revista BioScience é um verdadeiro sinal de alarme para a humanidade.

Anime retrata a bomba de Hiroshima e Nagasaki em 6 e 9 de agosto de 1945.





Anime retrata a bomba de Hiroshima e Nagasaki em 6 e 9 de agosto de 1945.
É bem forte, mas realista.

A maior forma de arte é transformar a si mesmo.

A maior forma de arte é transformar a si mesmo.

É lapidar-se da pedra bruta, conquistando virtudes e vencendo as próprias tendências inferiores.

A harmonia do corpo é importante, mas é apenas a casca. É no interior do palácio que reside a maior riqueza.

Como seria o mundo se a União Soviética não tivesse existido? (Mujica)

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

O que é Tantra?

Como andar reto por uma rua cheia de curvas? (Monja Coen)

O caminho do meio dentre a diversidade de conteúdos (Monge Genshô)

Fim do Glifosato na Europa pode ser um marco histórico na luta contra os agrotóxicos

Está prevista para esta quinta-feira, dia 9 de novembro, a decisão final da Comissão Europeia sobre a renovação ou não da licença para o Glifosato.

[...]

No mesmo ano de 2015, o IARC – Agência Internacional de Pesquisa em Câncer, ligada a Organização Mundial da Saúde, órgão da ONU - classificou o Glifosato como “provavelmente cancerígeno” após extensa revisão de publicações sobre o assunto.

As agências reguladoras da Alemanha e da União Europeia (EFSA) chegaram à conclusão inversa, ou seja, de que o Glifosato não causaria câncer. Umas das diferenças entre os estudos é que o IARC considerou mais pesquisas independentes. Grande parte das pesquisas avaliadas pela EFSA são financiadas pela indústria de agrotóxicos.

[...]

A Monsanto, ciente de que a vida do glifosato está chegando ao fim, passou a investir em sementes transgênicas resistentes ao Dicamba. Interessante notar que, ao contrário do discurso que sustenta a inovação no setor agroquímico com foco em substâncias menos perigosas, o Dicamba é uma molécula antiga, registrada em 1967.
E nos Estados Unidos, o Dicamba já enfrenta forte resistência, e até suspensão de uso em alguns estados. Fazendeiros alegam que o produto é altamente volátil, e está atingindo propriedades vizinhas. Quem não usa a nova semente da Monsanto resistente ao Dicamba, perde a produção.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Os detentos do interior de São Paulo que começaram a ler literatura na cadeia

Desde 2013 juízes do país têm autorização para reduzir o tempo de cadeia de presos que escrevam resenhas sobre os livros que leram; ao todo, já foram escritos mais de 6.000 textos.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Obsolescência programada

Tudo é feito às claras, pelo menos desde os anos 1920: empresas projetam produtos programados para durarem pouco, para obrigar o consumidor a comprar outro. Chama-se obsolescência programada. Mas o jogo está virando, pois governos e cidadãos começam a tomar providências contra esse abuso. 
O Parlamento Europeu aprovou um relatório no qual pede medidas contra os fabricantes que adotam o expediente e na França um coletivo de consumidores entrou com uma ação contra grandes fabricantes de cartuchos de impressoras, como Epson, HP, Canon e Brother. Porque dinheiro não é capim e o planeta não é uma lata de lixo.
Via EL PAÍS Brasil
Foto: JC
Saiba mais: https://tinyurl.com/yalemhxr
#CadaGotaConta #ObsolescênciaProgramada #LixoEletrônico #

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Knorr: "Me conheça melhor"?

Recentemente, a Knorr, da Unilever, lançou uma campanha publicitária com o mote "Me conheça melhor", no intuito de convencer os consumidores a deixar de lado o "preconceito" contra seus temperos industrializados. Num video todo alto astral e musicado, a marca usa uma série de exemplos de preconceitos que merecem ser derrubados, como os de gênero, sexualidade, etnia, religião ou estética, pra traçar um falso paralelo. Ela quer nos convencer de que, assim como a gente deixa de olhar torto para quem é diferente da gente quando se aproxima afetivamente, bastaria saber um pouquinho mais sobre a marca, por meio do site, pra concluir que o caldo Knorr é superlegal.

.

Tem pegadinha aí. Várias.


1) Não temos preconceito com tempero industrializado. Temos "pós-conceito". Após ler a lista de ingredientes e a tabela nutricional, e depois de provar comida de padaria temperada com esse tipo de produto, concluímos facilmente que tempero feito em casa é estupendamente mais saboroso e mais saudável. 

.

2) O site da marca segue o padrão da falsa transparência adotado por grandes marcas: muito blá blá blá pra pouca informação comprovada. 

.

3) A publicidade faz parecer que a Knorr tem algo de novo a oferecer, mas o produto permanece o mesmo. O glutamato monossódico continua lá.

.

4) A lista de ingredientes não declara qual tipo de gordura vegetal foi usado, o que não nos permite confirmar se contém gordura trans nem se a origem dessa gordura é transgênica. 


Eu não consumo tempero industrializado, mas como jornalista defensora da causa da transparência no setor de alimentos, gostaria de conhecer a Knorr melhorrrr, de verdade. Então, Knorr, declare na lista de ingredientes qual gordura vegetal você usa e aplique o selo dos transgênicos, que aí talvez a sua campanha faça sentido, e eu talvez possa reconhecer publicamente que você está se tornando de fato mais transparente.

#queremossaber #averdadesobreacomida

Por que os vagalumes brilham?

Os problemas trazidos pela extinção de alguns insetos

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

sábado, 14 de outubro de 2017

Tecnologia pode criar elite de super-humanos e massa de inúteis

Os avanços em tecnologia, genética e inteligência artificial podem transformar a desigualdade econômica em desigualdade biológica? O autor e historiador Yuval Noah Harari se fez essa pergunta.

[...] Os governos não forneciam educação e vacinação porque eram bondosos. Eles precisavam que as massas fossem úteis. Mas agora isso está mudando novamente.
Os melhores exércitos da atualidade demandam poucos soldados, mas altamente treinados e com equipamentos de alta tecnologia.
As fábricas também estão cada vez mais automatizadas.
Esse é um dos motivos pelos quais poderemos - num futuro não tão distante - ver a criação das sociedades mais desiguais que já existiram na história humana. E há outros motivos para temer esse futuro.
Com rápidos avanços em biotecnologia e bioengenharia, nós podemos chegar a um ponto em que, pela primeira vez na história, desigualdade econômica se torne desigualdade biológica.

domingo, 8 de outubro de 2017

Que todos os seres vivam em igualdade

"Que todos os seres vivam em equanimidade(igualdade) livres de paixões, de agressões e de preconceitos."

Os plásticos e as tartarugas

Um desses frascos contém sacos plásticos, o outro contém uma água-viva. Agora imagine que você é uma tartaruga com fome.
Fonte

sábado, 7 de outubro de 2017

A Agroecologia é a resistência da comida de verdade para todos!

A Bela Gil postou essa foto que mostra o Cerrado devastado para dar espaço à monocultura (monocultura NÃO é produção de alimento). Ela - e nós também - apostamos na Agroecologia como forma de resistir à esse modelo e transformar essa realidade. "Acredito que só a Agroecologia com sua visão ética e justa consegue colocar alimento de qualidade e de verdade na mesa de TODOS os brasileiros. E para que esse sistema mude, precisamos virar o jogo enquanto há tempo, e repensar as monoculturas que destroem a nossa biodiversidade para alimentar porcos na China e a indústria alimentícia de produtos ultraprocessados. A AGROECOLOGIA É A RESISTÊNCIA DA COMIDA DE VERDADE PARA TODOS!!! 💚"

Consumo excessivo de carne está devastando o planeta, diz relatório

[...] De acordo com o documento intitulado “Apetite por destruição”, a agricultura intensa e industrial também resulta em comida menos nutritiva: para conseguir o mesmo percentual de ômega 3 encontrado em um frango criado para consumo humano na década de 1970, são necessários, hoje, seis frangos. [...]

Um levantamento encomendado pela ONU em janeiro já alertava que, devido à agricultura, a Humanidade já ultrapassou quatro dos nove limites definidos como fundamentais para manter o desenvolvimento sustentável. [...]

— Os cientistas alertam que estamos enfrentando um evento de extinção em massa não visto desde os dinossauros. Grande parte da atual perda de biodiversidade é impulsionada pela forma como produzimos alimentos.

O Poder da Meditação: 7 Benefícios Extraordinários

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Unidade - Minimalismo aplicado ao vestiário (Caciano Camilo Compostela)

Unidade .:.
❝Não há nada de errado em você ter um closet com trezentas blusas, mais duzentos e cinquenta e sete pares de sapatos {na verdade há, mas não entraremos nessa celeuma}, é muito bom que a vida tenha lhe proporcionado isto; no entanto, caso deseje refinar tua postura, estilo e guarda-roupa, tens aqui um ponto de reflexão.
Em virtude dos sacrifícios impostos ao planeta e da agonia fomentada pelo insaciável coração consumista do mundo, talvez lhe seja oportuno trocar o Scarpin vermelho pelas sandálias da humildade e mudar.
A filosofia minimalista aplicada ao vestuário lhe apontará algumas possibilidades que podem ser proveitosas no todo ou em parte; eu mesmo tenho feito uso destes preceitos nos últimos anos e - posso afirmar - multiplicado tempo, energia e serenidade.
1- Escolha uma única cor (predominante ou absoluta) para tuas vestes, esse minimalismo nas cores lhe poupa tempo de escolha, fixa um estilo e reduz a ansiedade.
2- Tenha um padrão mais ou menos único de roupas, uma espécie de uniforme que lhe seja confortável, simples e elegante ao mesmo tempo.
3- Estabeleça como meta não usar roupas oriundas de trabalho escravo ou de corporações descompromissadas com o bem-estar animal, ambiental e humano.
4- Nunca compre nenhuma peça de roupa ou calçado pela moda, impulso ou para impressionar outros. Confiança não se compra, se desenvolve.
5- Se necessário, mande fazer tuas roupas. Não use ou guarde nada rasgado, velho ou inutilizado por mais de dois meses.
6- Faça com que todo teu guarda-roupa pessoal caiba em compartimentos cada vez menores. Lave as peças diariamente (é como tomar banho...) e ficará perfeitamente habituado a algo, num primeiro momento, incomum.
7- Não te preocupe, verá que sempre terá recursos para renovar teu pequeno vestuário, e não será surpreendido pela necessidade d'algo a mais porque, na verdade, te surpreenderá com o muito mais quando ousares ter bem menos.
Sim, é um desafio, mas destes cuja conquista fortalecem o corpo, clareiam a mente e enobrecem o espírito!❞

Poluição por microplásticos é encontrada em organismos no mar profundo

Fonte e mais informações

O que realmente é meditar? Como a mente humana funciona? (Monja Coen)

domingo, 1 de outubro de 2017

23 ganhadores do Prêmio Nobel pedem em carta a Temer o fim dos cortes na ciência

[...] O grupo de cientistas afirma que os cortes orçamentários resultarão na "fuga de cérebros". A carta ainda afirma que outros países em crise econômica fizeram cortes orçamentários de 5% a 10%, e que ""um corte de mais de 50% é impossível de ser acomodado, e irá comprometer seriamente o futuro do país".

A redução orçamentária para a ciência brasileira já foi divulgada em periódicos de prestígio como a Nature.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Música é usada no tratamento de demência

Estudo alerta para extinção em massa de alimentos

[...] Em relatório divulgado nesta terça-feira (26/09), o grupo aponta que, das estimadas 7 mil espécies vegetais comestíveis, majoritariamente 30 são usadas para alimentar o mundo. [...]

Mundo afora, apenas três culturas agrícolas – arroz, milho e trigo – fornecem cerca de 50% do total de calorias consumidas. Em quase 80% das áreas dedicadas ao cultivo de cereais, são plantadas apenas essas três variedades vegetais. Qualquer ameaça a esses alimentos provocada pelas mudanças climáticas poderia ser devastadora, alerta o grupo de pesquisadores. [...]

Outra solução para a extinção de alimentos seria criar demanda por diferentes culturas agrícolas. "Hoje temos demanda por café da Etiópia, por quinoa da Bolívia e dos Andes", diz Tutwiler. "Essas eram culturas que haviam sido completamente esquecidas. E em parte por meio dos nossos próprios esforços elas foram conservadas e agora têm um valor econômico." [...]

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Um terço do solo do planeta está severamente degradado

Fonte e mais informações

Óleo de Coco auxilia no combate ao Alzheimer

O local recordista de casos de Alzheimer no mundo

Iniciativa apoiada pelo Banco Mundial prevê recuperar 30 mil hectares da Amazônia até 2023

Fonte e mais informações

Na ONU, líderes do Caribe criticam ceticismo sobre as mudanças climáticas e pedem recursos para prevenir desastres

[...] “Os eventos dos últimos meses no Caribe nos lembram, mais uma vez, que os pequenos Estados insulares em desenvolvimento continuam na linha de frente do impacto das mudanças climáticas”, disse.

Já o ministro das Relações Exteriores das Bahamas, Darren Allen Henfield, ressaltou o ineditismo da escala das últimas tempestades. “Pela primeira vez em sua história, as Bahamas evacuaram comunidades inteiras para quadrantes seguros antes do furacão Irma. O que virá em seguida? A evacuação em massa de todo o Caribe?”, questionou.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Viva a Primavera! Viva a Era de Leão! (Thomas de Toledo)

Viva a Primavera! Feliz Ano Novo zodiacal. Seja bem vinda a Era de Leão! Hã? Mas o ano novo zodiacal não começa dia 20 de março? Não seria Era de Aquário? Mais ou menos. Para o Hemisfério Norte é março, mas como vivemos no Hemisfério Sul, o correto é celebrar em setembro. Aí, algum horóscopo dirá que o sol está entrando em Libra. Mas como não devemos crer em tudo o que falam, olhemos para o céu, e o que vemos é que de fato o sol está em Virgem. Há uns anos, algum europeu olhou para o céu e percebeu que em 20 de março, o sol do Hemisfério Norte não estava mais em Áries, mas em Peixe; isso significa que, devido ao movimento é de Precessão dos Equinócios, em breve o Sol começará as primaveras de lá em Aquário. Daí surgiu a esperança de que caminhamos para a Era de Aquário. Lembremos da música: "This is the coming of the Age of Aquarius... Aquarius". Ora, mas se é uma Era de Aquário no Hemisfério Norte, no Hemisfério Sul, então, trata-se de a Era de Leão. Ou seja, temos dois problemas: 1) a astrologia que parou 2 milênios no tempo e que se recusa a atualizar-se com o movimento de precessão por que isso significa romper com dogmas; 2) a chegada da Nova Era que será Aquário no Norte e Leão no Sul. Contudo, a história do Sul foi ter sido colonizada pelo Norte. Resultado: muitos que vivem no Hemisfério Sul aceitam a ideologia do colonizador até mesmo na interpretação dos astros. Mas não! Aquário é legal, descolado, sem ideias quadradas. Contudo, Leão é o rei dos animais, aquele que é regido pelo sol. Por isso, mais do que nunca, nosso Norte é o Sul. Viva a Era de Leão!

O quanto um solo vivo é capaz



Fonte

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Michio Kaku explica a Teoria das Cordas

Enquanto a China trata traidores como traidores, no Brasil eles ganham até filme para homenageá-los (Thomas de Toledo)

Recentemente, foi divulgado que a China desmantelou uma rede de espionagem da CIA e fuzilou os agentes secretos dos EUA, causando "dano irreparável" à arapongagem no país asiático. Enquanto isto, no Brasil, a CIA, o FBI, a NSA e a rede de "think-tanks" do NED age escancaradamente. Oferecem "ajuda financeira" a policiais, convidam juízes, desembargadores e militares a "atividades de cooperação" e a "fazerem cursos" dedicados aos "movimentos" de direita/extrema-direita que proliferam no Brasil depois de 2013. Enquanto chamam isso de "teoria da conspiração", o petróleo do pré-sal é entregue, a desnacionalização do setor elétrico avança, a água e os aquíferos são prometidos às multinacionais, a exploração das reservas minerais (mesmo em área indígena e de preservação) é anunciadas a venda e até mesmo o território nacional é oferecido para a instalação de bases militares dos Estados Unidos. A China acreditou em "teoria da conspiração" e em breve concluirá o processo de chegar à condição de maior economia do mundo. O Brasil, "país do futuro", não acreditou em "teoria da conspiração" e até presidentes da República foram grampeados. Enquanto a China trata traidores como traidores, no Brasil eles ganham até filme para homenageá-los como salvadores da "pátria".

Nossa saúde não é fixa nem permanente. Como nos cuidamos? (Monja Coen)

Temer é acusado de cinismo após discurso na Assembleia Geral da ONU

O presidente brasileiro, Michel Temer, provocou reações adversas nesta terça-feira, em Nova York, ao discursar em defesa da Amazônia na Assembleia Geral das Nações Unidas [...]

Temer aproveitou para falar sobre os avanços brasileiros na área ambiental, inclusive na Floresta Amazônica, a qual ele foi recentemente acusado de querer entregar nas mãos de grandes empresários. [...]

em Nova York, Temer foi alvo de uma manifestação significativa na cidade justamente por conta da maneira como o seu governo vem abordando as questões do meio ambiente [...]

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

"Mesmo se somos muito diferentes, podemos ser amigos"

[...] "Mesmo se somos muito diferentes, podemos ser amigos". E ainda há quem acredite que as crianças não tem nada a ensinar.

O mundo antigo é fascinante... (Thomas de Toledo)

O mundo antigo é fascinante e a evolução da humanidade com a sofisticação de seus elementos espirituais, econômicos e políticos faz parte do progresso do homo sapiens sapiens desde o final do holoceno, quando encerrou a última era glacial e nossos ancestrais saíram da caverna para se fixarem. Em tempos de hegemonia de notícias sensacionalistas, sempre fazem as mesmas perguntas: "Eram os Deuses astronautas?"; "Havia uma ligação entre as pirâmides do Egito e do México?". As respostas são não e não. Deuses são divindades e astronautas foram Yuri Gagarin e Neil Armstrong. Quanto aos extraterrestres, deixo que os respeitosos ufólogos tratem disso e mostrem provas materiais, nada de "canalização pseudomediúnica de Órion", que é um belo passaporte ao manicômio, sem licença poética. O que a Arqueologia, a Antropologia, a Etnografia e a História demonstram exaustivamente é que se trata de um longo processo de aprendizagem humana e evolução da técnica. Até que veio um europeu com sua visão eurocêntrica e questionou como egípcios africanos e astecas latino-americanos "atrasados" poderiam ter feito pirâmides se não fosse com ajuda de ETs? Pois bem, colonialista europeu: africanos e latino-americanos construíram pirâmides da mesma forma que europeus construíram o Coliseu e a Catedral de Notre Dame. Por falar em pirâmides, que tal estudar o que elas representavam para cada povo que as construiu, ao invés de ficar querendo inventar teorias "moderninhas" do tipo: "máquina do tempo", "usina de energia", "teletransporte" ou "central de controle de pouso de discos voadores". Para os egípcios, as pirâmides eram muito mais do que simples túmulos de reis, mas uma representação simbólica do monte da criação para garantir a ressurreição do Deus faraó no além vida. Já as pirâmides astecas eram templos de sacrifício humano às divindades que naquela cosmogonia precisavam de sangue para manter a ordem do universo. Não nos cabe julgar, mas acima de tudo entender! Aliás, não faz sentido comparar pirâmides egípcias com astecas, visto que elas têm mais de 4 mil anos de diferença e oceanos, mares e continentes gigantescos separando esses dois povos. Portanto, se querem entender o passado, mergulhem no que cada cultura tem oferecer a partir dela própria, não buscando nelas a justificativa para uma crença pessoal. Não digam que "Deus" é o mesmo para todos por que cada povo entendeu o divino de uma forma. A generalização apenas descaracteriza e empobrece a verdade, que só será encontrada com o respeito pelo que cada uma delas acreditou. Há, mas então por onde começar? Joguem fora Daniken e leiam Edward Said: "Orientalismo - o oriente enquanto invenção do ocidente".

Quebrando crenças (Thomas de Toledo)

Quebrando crenças. O Tarô não é Egípcio Antigo, mas europeu moderno. A Astrologia está defasada em dois milênios e o seu signo provavelmente não é o que está no Horóscopo. A Maçonaria não foi criada por Hiram, mas pela Royal Society britânica. A Rosa Cruz não foi fundada por Akhenaton, mas por intelectuais do século XVII. A igreja católica não foi estabelecida por Pedro, mas pelo Império Romano. Quem multiplicava pães e transformava água em vinho era Apolônio. Quem faz aniversário dia 25 de dezembro é Mitra. Se Jesus existiu, ele nasceu no ano 2 ou 3 antes de Cristo. Moisés é provavelmente uma criação ficcional-religiosa. As pirâmides não foram construídas por escravos. Os demônios da bíblia são Deuses de outras religiões com os quais o judaísmo disputava fiéis. Os Deuses não eram astronautas. Deus não é o mesmo para todos por que cada povo tinha seus próprios Deuses. Todos são ateus quando se trata da crença do outro.

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Direitos humanos: onda conservadora no Brasil provoca aumento da violência no campo

O Comitê Brasileiro de Defensoras e Direitos Humanos (CBDDH) enviou documento à ONU e à Organização dos Estados Americanos (OEA), denunciando a violência no Brasil, especialmente na área rural. [...]

“O aumento crescente das violações dos direitos humanos no Brasil, principalmente a partir de 2015 e com ênfase nos anos de 2016 e 2017, motivou nossas entidades a enviar esse documento para a ONU e para a OEA. Neste ano, 78% dos assassinatos ocorreram na Amazônia, e a maior parte dos homicídios está ligada a conflitos agrários, envolvendo milícias privadas, latifundiários e o agronegócio.” [...]

“Já que não estamos obtendo resultados positivos com o Estado brasileiro, queremos que a ONU e a OEA pressionem o governo para que a violência seja contida e os defensores dos direitos humanos e as populações menos favorecidas sejam respeitados,” afirmou.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Massacre de índios isolados na Amazônia é alvo de investigação de MPF e Funai

[...] Conhecidos como 'Flecheiros', os índios teriam sido assassinados em agosto por garimpeiros que exploram ilegalmente a área, que fica nas proximidades dos rios Jandiatuba e Jutaí, perto da fronteira com o Peru, a aproximadamente 1.000 km de Manaus, em uma região de difícil acesso. [...]

"A notícia foi revelada apenas após os garimpeiros se vangloriarem das mortes, mostrando 'troféus' na cidade mais próxima", afirmou a ONG, em comunicado. [...]

"Apesar das dificuldades enfrentadas para chegar ao local (12 horas de barco nesse período de seca), a Funai está empenhando todos os esforços para apoiar o Ministério Público e a Polícia Federal na investigação", explicou o órgão. [...]

"Caso tais relatos sejam confirmados, o presidente Temer e seu governo possuem uma grande responsabilidade por este ataque genocida. O corte no orçamento da Funai deixou dezenas de tribos isoladas sem defesa contra milhares de invasores – garimpeiros, fazendeiros e madeireiros – que estão desesperados para roubar e pilhar suas terras. Todas estas tribos deveriam ter tido suas terras devidamente reconhecidas e protegidas há anos – o apoio aberto do governo àqueles que querem abrir territórios indígenas é extremamente vergonhoso, e este suposto massacre poderia ter sido, e foi, previsto", disse.

Como lidar com perdas e mudanças que causam sofrimento? (Monja Coen)

Como a doença de uma menina mudou o que um país come


Alemanha em 1 minuto: cadê o ralo?

Entenda por que o Brasil pode ter a melhor rotulagem nutricional do mundo

A informação nutricional vai aparecer nos rótulos de um jeito novo. Pra que esse jeito novo seja o melhor pro Brasil, a gente precisa convencer a Anvisa a escolher o modelo certo. 

A indústria e o comércio de alimentos certamente serão afetados pela mudança na rotulagem nutricional. Algumas empresas poderão se sentir prejudicadas, outras poderão tirar vantagem dessa novidade. 


Entenda por que o Brasil pode ter a melhor rotulagem nutricional do mundo

Conheça em detalhes a melhor proposta de rotulagem nutricional frontal apresentada até agora à Anvisa, baseada em evidências científicas e na experiência de outros países.
O que vai mudar na rotulagem tradicional

Essa mulherada é parte do grupo de rotulagem nutricional da Anvisa, coordenado pelo único rapaz na foto. Saiba como essa turma estudou o tema e quais conclusões levaram à nova proposta de rotulagem nutricional divulgada na semana passada.
A melhor do mundo


Você não precisa esperar a Anvisa colocar a novidade em vigor para saber quais alimentos serão rotulados com o triângulo negro. Aqui você fica sabendo de tudo antes de todo mundo.

A mudança na rotulagem nutricional é muito importante e deve causar um grande impacto positivo nas escolhas alimentares dos brasileiros. Mas há outros problemas a evitar nos rótulos. Se você não quer perder o bonde da história, vem comigo.

domingo, 10 de setembro de 2017

Agrotóxicos são responsáveis pelo desaparecimento das abelhas - entrevista especial com Lionel Segui Gonçalves

“Existe uma região na China, a qual tive o prazer de visitar, onde há 20 anos houve o uso indiscriminado de agrotóxicos e as abelhas acabaram desaparecendo. Hoje, os chineses estão fazendo a polinização das suas árvores com suas mãos, utilizando uma vareta com pena de passarinho, onde colocam o pólen nas plantas, isto é, fazem o papel da abelha. Estou prevendo que esse também será o nosso futuro, caso não haja nenhuma atitude governamental no sentido de proibir ou, pelo menos, de haver um controle no uso de agrotóxicos”.

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Cientistas estudam os impactos das mudanças climáticas no oceano

[...] Os estudos dos pesquisadores mostram que nos últimos 50 anos a concentração de oxigênio nos oceanos diminiu cerca de 2%.

Os oceanos estão passando por 3 grandes mudanças:
o aquecimento das águas (por causa das mudanças climáticas);
estão se tornando mais ácidos, já que absorvem uma parte do CO2 produzido pelo homem;
e por último, estão perdendo oxigênio.

Águas superficiais mais quentes retem menos oxigênio do que frias. Com a circulação oceânica mais fraca, o transporte de oxigênio para as camadas mais profundas é menor.

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Nicholas Winton, o herói anônimo da Segunda Guerra

A importância de se parar de comer carne vermelha (ou ao menos diminuir bastante o seu consumo)

ATENÇÃO - LEIA AQUI
Amigos, queria pedir a atenção de todos nesse momento para falar da importância de se parar de comer carne vermelha, ou ao menos diminuir bastante o seu consumo.
Em primeiro lugar, a carne bovina e suína são responsáveis por boa parte dos problemas de saúde da população mundial. A criação moderna de animais provoca artificialmente a engorda para obter mais lucros. Ingerir gordura animal aumenta suas chances de ter um ataque cardíaco ou desenvolver câncer.
Em segundo lugar, o consumo de carne é o principal responsável pela destruição da Amazônia e de outras áreas de preservação ambiental. É responsável pela morte de milhões de animais silvestres que perdem seu ecossistema de origem que depois se torna pasto.
Em terceiro lugar, a crueldade que se faz com os animais, bois, porcos e galinhas é algo absurdamente violento e lamentável. Cada vez mais essa crueldade aumenta e o sofrimento dos animais não tem fim. É um holocausto animal que se faz por dia.
Mesmo que não consigamos parar completamente com o consumo de carne vermelha, vamos ao menos diminuir esse consumo para no máximo 2 refeições com carne por semana. É possível também substituí-las por peixe ou mesmo iniciar uma dieta vegetariana. Não há nenhuma evidência científica de que o ser humano precise consumir carne vermelha para sobreviver. Essa crença é produto de um lobby das indústrias de carne que desejam convencer a população a consumir mais e mais carne, a fim de lucrarem mais e mais.
Portanto, vamos refletir sobre isso e tentar diminuir cada vez mais o consumo de carne vermelha. Eu já reduzi muito.... e quero reduzir mais até parar completamente de comer.

sábado, 2 de setembro de 2017

O que as pessoas comem nas regiões com as expectativas de vida mais altas do mundo?

Pessoas que moram nas regiões com as maiores expectativas de vida do mundo têm alguns hábitos em comum

E é justamente a alimentação que chama a atenção em cinco regiões do planeta onde a população atinge uma idade média superior a cem anos.

"O que descobrimos é que as pessoas nessas regiões não só vivem mais tempo - cerca de dez anos acima da média - mas vivem melhor a sua velhice"

[...] apenas 20% da nossa longevidade média pode ser atribuída à genética. "Os 80% restantes (se devem) ao estilo de vida e ao ambiente."

Uma das coincidências nas dietas é a ausência total de refrigerantes e produtos derivados do leite de vaca.

"Eles consomem cerca de três porções de peixe por semana, a mesma frequência dos ovos. Mas comem pouca carne vermelha, cerca de cinco porções por mês"

Seu consumo se limita muito ao que eles são capazes de produzir localmente. [...]

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Por que a Amazônia é vital para o mundo?

Floresta leva umidade para toda a América do Sul, influencia regime de chuvas na região, contribui para estabilizar o clima global e ainda tem a maior biodiversidade do planeta.
Fonte e mais informações

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Os diferentes tipos de Ômega 3 (Flávio Passos)

É comum a falta de discernimento entre os diferentes tipos de ômega 3.
Por este motivo, muitos acreditam que podem suprir todas as necessidades de ômega 3 consumindo linhaça e chia, alimentos vegetais que oferecem dentro de si o ALA, um tipo de ômega 3 de cadeia curta que tem forma e função diferentes do DHA ou do EPA.
O ideal é que ambos os tipos estejam disponíveis ao organismo, mas o DHA (em especial) e o EPA são os mais relevantes e não podem faltar.
Embora o corpo consiga converter uma pequena quantidade de DHA a partir do ômega 3 vegetal (ALA), pesquisas atuais demonstram que a taxa de conversão é muito baixa. Na maioria dos casos fica abaixo de 0,5%, podendo alcançar até 3%. Ou seja: é insuficiente. Se você é vegetariano ou vegano, um complemento de DHA e EPA é essencial, seja de origem vegetal (algas) ou de origem animal (óleo de peixe, krill ou moluscos).
Se você não é nem vegetariano e nem vegano, provavelmente se beneficiaria de um bom complemento de DHA.
Ocorre que a média de consumo populacional é de, em média, 100mg a 200mg de DHA por dia, bem abaixo dos recomendados 650mg de DHA e 100mg de EPA que os cientistas recomendam para indivíduos saudáveis.
A recomendação é maior para gestantes e em caso de tratamento de patologias neurológicas diversas. Sempre consulte seu nutricionista ou médico de prevenção para conhecer a indicação adequada para sua individualidade.
Um dos grandes problemas da dieta ocidental moderna é a carência de ômega 3 e o excesso de ômega 6 (encontrado principalmente nos óleos ultraprocessados, como milho e girassol).
Quando os níveis de ômega 6 estão maiores que o desejável e os níveis de ômega 3 abaixo do ideal, o organismo fica pré-disposto a inflamações diversas – fator que contribui para a causa e a piora de inúmeros problemas de saúde.
De acordo com pesquisas publicadas nos EUA (Chicago e Kentucky) e na Holanda (Rotterdam), níveis adequados de DHA fazem com que a comunicação entre as células nervosas fique melhor, mais rápida e mais eficiente, sendo que os níveis baixos de DHA no cérebro ou nos olhos podem retardar a sinalização entre as células, resultando em deficiência visual ou função cerebral alterada.
A deficiência de ômega 3 está associada à baixa inteligência, depressão, problemas cardíacos, câncer e desenvolvimento de doenças degenerativas como Alzheimer.
Por todos estes motivos, é fundamental estar atento para a obtenção diária deste nutriente essencial, seja através de alimentos ou de complementos.
O DHA é tão essencial para o funcionamento excelente da Saúde do cérebro e sistema nervoso e da visão quanto a água é fundamental para a Saúde das plantas.

Elemento fundamental para a vida, o DHA é o mais importante ácido graxo essencial ômega 3 de cadeia longa. Ele recebe o título de “essencial" porque efetivamente precisa ser obtido através da nutrição, pois o corpo não é capaz de produzi-lo dentro de si a partir de outras matérias primas.
Ele é indispensável para o desenvolvimento do cérebro e sistema nervoso, desde a fase embrionária até sua completa formação. Por este motivo é um dos elementos que constituem o leite materno.
Quanto maior a concentração de DHA no leite materno (algo que depende da qualidade da nutrição da mãe), melhor será o desenvolvimento do sistema nervoso.
Ao longo da vida, o corpo continua a requerer o DHA como algo crucial para seu pleno funcionamento.
60% do cérebro é composto de gordura, e até 40% desta gordura é DHA.
Um substancial corpo de pesquisas demonstra que o nutriente ômega 3 DHA é matéria prima essencial para a otimização da mente, proporcionando uma notável evolução no desempenho da memória, da capacidade de aprendizado, do humor e da qualidade do comportamento - resultado direto de um sistema nervoso bem nutrido e próspero.
A atitude de proporcionar amplo estoque deste nutriente ao corpo pode auxiliar a proteger o o sistema nervoso contra a degeneração causada pela idade, assim como na prevenção de derrames, alzheimer e perda de memória.

Entrevista com Carin Primavesi: Curando o Déficit de Atenção com alimentação

domingo, 20 de agosto de 2017

Ana Primavesi: um exemplo para o Brasil e para o mundo

Aos 96 anos de idade, esbanjando simpatia e uma saúde de dar inveja, pegou na pá e no regador e plantou uma Jequitibá Rosa, com composto e mulching, no Parque do Ibirapuera, perpetuando simbolicamente os seus ensinamentos sobre a importãncia do solo e o respeito à natureza !!! Nós agradecemos, o Parque Ibirapuera agradece, São Paulo agradece, e por que não o Brasil e o mundo? Gratidão Professora e Dra Ana Maria Primavesi, Carin Primavesi Silveira e Virgínia Knabben

A pobreza espiritual predominante no Brasil... (Thomas de Toledo)

A pobreza espiritual predominante no Brasil fica evidente quando vemos as referências religiosas que fazem fortuna com a ignorância social. Nada novidade em um país que se consagrou como o maior exportador de fé enganosa do mundo, onde sua maior multinacional é a Igreja Universal e seu maior expoente literário é Paulo Coelho. Por aqui tem INRI Cristo que fala que é Jesus. Tem Gideon que fala ser Lakota. Tem Hélio Couto que fala que é Akhenaton e que vende CD onde diz gravar "quanticamente" tudo o que pessoa pedir. Tem bispo Valdemiro vendendo vassoura pra limpar a casa do demônio. Tem Toninho do Diabo vendendo pacto com o capeta e saindo candidato pelo PSDB. Agora tem até "menino do Acre" falando que é Giordano Bruno e vendendo diários de adolescente como se fosse filosofia. Enquanto isso, as universidades federais e estaduais estão indo à falência com cortes de orçamento, as particulares virando loja de diplomas, a profissão de professor sendo transformada em bico e os cientistas brasileiros tendo que sair do país pra não virarem motorista de Uber. Como se não bastasse, escolhem o ator pornô Alexandre Frota e o pastor Silas Malafaia para promoverem a reforma educacional do ensino médio. Para quem acreditava que o iluminismo tinha vindo pra ficar, eis que voltamos à idade das trevas do obscurantismo na qual as religiões neopentecostais, o satanismo e o esquisoterismo encontram terreno fértil para imbelicizar as massas e ganhar dinheiro à custa da ignorância.

Quanto mais os estudos arqueológicos avançam, mais a bíblia se mostra obsoleta como referência histórica. O Êxodo foi escrito por hebreus na Babilônia no século VI aEC. Ele refere-se a um evento supostamente ocorrido 7 séculos antes e transmitido oralmente. Isso já o limita para ser reconhecido como histórico. Contudo, com a arqueologia, seu conteúdo fica ainda mais distante da realidade. A saga de Moisés não bate com o que a ciência descobriu. Os hebreus não poderiam ter sido escravos no Egito por que a escravidão só viria a ser implantada no país cerca de mil anos depois, já sob domínio grego. Geograficamente, seria deletério supor que os hebreus saíram de Per-Ramesse (no Norte), atravessarem o Mar Vermelho (no Sudeste) e chegarem na Palestina (no Nordeste). Também cai por terra o mito de que o primogênito de Ramsés II foi morto pela 10a praga, uma vez que sua ossada foi encontrada na tumba KV5 do Vale dos Reis pela equipe do Dr. Weeks. Ele faleceu com um ferimento de batalha (não por uma doença causada por uma anjo), já em idade adulta (não era um bebê). Entender o Êxodo como um livro religioso, simbólico ou mítico faz sentido para os seguidores de sua crença, mas tratá-lo como fato não bate com as evidências históricas. Hoje, a maior parte dos historiadores críticos tem clareza de que essa narrativa foi contada para se inventar um mito fundador e um passado glorioso para um povo que criava uma identidade e precisava justificar suas raízes como muito antigas. O Egito era a mais próspera e duradoura civilização do mundo antigo, logo, construir um mito a partir de lá fazia todo o sentido no contexto.

Thomas de Toledo

sábado, 19 de agosto de 2017

Alan Watts - Yin & Yang

Gravações raras de Alan Watts explicando brilhantemente a filosofia do Yin & Yang e os conceitos do Budismo.

''Aquela coisa externa que você vê, e a coisa interna que você é, são polos do mesmo ímã, lados da mesma moeda... sem um não haveria o outro.''

terça-feira, 15 de agosto de 2017

O ex-executivo do Facebook que largou tudo e prepara refúgio em ilha para sobreviver a 'apocalipse tecnológico'

Basicamente as mesmas coisas que Yuval Harari está falando ...
Antonio Garcia Martínez, de 40 anos, vivia no epicentro da revolução digital, mais precisamente no Vale do Silício, região próxima de San Francisco, nos Estados Unidos, onde estão as sedes de algumas das principais empresas de tecnologia do mundo. Mas desde 2015 ele mudou radicalmente de vida ao chegar à conclusão que estaríamos prestes a enfrentar um "apocalipse tecnológico".
Martínez afirma que o avanço da tecnologia - em especial, da combinação entre automação e inteligência artificial - mudará radicalmente a economia global e fará com que empregos desapareçam em escala massiva.
"Dentro de 30 anos, metade da humanidade não terá trabalho." [...]
Ele estima que 35% dos empregos no Reino Unido corram risco de desaparecer nos próximos 20 anos com a criação de robôs capazes de realizar as mesmas funções. Esse índice é ainda maior nos Estados Unidos, onde chega a 47% - e ultrapassa 50% em países em desenvolvimento. [...]
"Em San Francisco, eu vi como o mundo será daqui cinco a dez anos. Você pode não acreditar que está vindo, mas está - e tem a forma de um caminhão que dispensa motorista."

A propaganda antifascista dos EUA dos anos 1940 que viralizou após confrontos em Charlottesville


domingo, 13 de agosto de 2017

Agricultura Convencional x Orgânica (Ana Primavesi)

Trechos do livro "Pergunte ao Solo e às Raízes".

Os defensores da agricultura convencional (que é a química) estão absolutamente convencidos de que o mundo iria morrer de fome se não houvesse a adubação química e
 os defensivos que protegem as culturas de parasitas, especialmente insetos e fungos. E os da agricultura orgânica são igualmente convencidos que sem matéria orgânica não há produção saudável. [...] 
Quem tem razão? A agricultura existe somente para contribuir aos lucros ou para alimentar a população hoje, amanhã e sempre, quer dizer, de maneira sustentável? [...]
Para terminar com toda discussão os estudantes da ESALQ em Piracicaba arranjaram um encontro entre os exponentes das duas correntes:

- Podemos produzir mais e melhor com adubos quimicos. A matéria orgânica é somente adubo químico em forma orgânica e portanto mais diluido, menos eficiente.

Revolviam: - não
 podem produzir sem matéria orgânica porque esta é um condicionador do solo. E sem agregados e poros não entra nem água nem ar no condicionador do solo.

- Podemos irrigar. E querem ver um café adubado e irrigado como produz? - E mostraram fotografias.

- Mas com um trato orgânico adequado, as raízes se desenvolvem melhor, exploram um volume maior de solo, recebendo mais água e mais nutrientes, portanto são melhor nutridas. A selva tropical neste sistema, produz em solos paupérrimos 5 vezes mais biomassa por ano e hectare que uma floresta em clima temperado. As plantas são bem nutridas, apesar dos solos pobres. Portanto somente precisamos um trato adequadodo solo. [...]

- E as colheitas recorde do agrobusiness, estas vocês não consideram com seu lucro fantástico.

- E como as consideramos. Não são sustentáveis, mas somente por um curto prazo de tempo. Destroem os solos, fazem os rios secar e a água potável diminuir, quebram os ciclos naturais e usam plantas geneticamente modificadas, das quais ninguém ainda sabe o efeito sobre a natureza e especialmente sobre a formação de proteínas e outras substâncias estranhas nas plantas e seu efeito sobre o homem. O transplante de genes não é ainda muito esmerado. Arrancam mais ou menos 8% dos cromossomos de uma planta - e cada par de cromossomos pode ter milhares e milhares de genes - e implantam em seu lugar frações de cromossomos de outros seres, como por exemplo de Agrobacter na soja, para torná-la resistente ao Roundup.

Ana Primavesi