terça-feira, 29 de outubro de 2013

Bebê chora de emoção ao ouvir a mãe cantando e faz sucesso na web

http://www.youtube.com/v/nIsCs9_-LP8?version=3&autohide=1&autohide=1&feature=share&autoplay=1&showinfo=1&attribution_tag=xZY2IA6DrL-7OqfiQHbeBA

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Os ignorantes que acham que sabem tudo privam-se de aprender

Fonte

Mercúrio nos signos

Mercúrio em Áries - Aqui Mercúrio se expressa aos moldes de fogo e Marte: analisa rapidamente as situações e “vomita” tudo o que estiver na cabeça de forma instintiva, sem pestanejar. A comunicação é direta, sem rodeios e por conta disso, quem tem Mercúrio em Áries pode ser visto como alguém agressivo e radical em suas colocações. Por conta da velocidade do raciocínio, há impaciência para as questões intelectuais.

Mercúrio em Touro - Mercúrio em Touro fala da comunicação e do raciocínio aos moldes de terra: voltado aos aspectos práticos e concretos. Quem tem Mercúrio em Touro gosta de ponderar bem as ideias antes de decidir, avaliando tudo no ritmo da tartaruga. Isso acontece porque quando a decisão é tomada, eles não voltam atrás – característica típica dos signos fixos. É um posicionamento que pode sugerir dificuldade ou lentidão em aceitar e digerir novas ideias.

Mercúrio em Gêmeos - Em Gêmeos, Mercúrio encontra seu domicílio. Isso significa que há compreensão entre ambos: se Mercúrio pede pelo raciocínio lógico, movimento e objetividade na comunicação, o signo de Gêmeos responde sorrindo. Quem tem Mercúrio em Gêmeos comunica-se de forma ágil, eloquente e versátil. Por estar em um signo de ar, Mercúrio em Gêmeos é capaz de captar muitas e as mais diversas informações sem dificuldade, processando e transmitindo as mesmas com muita habilidade.

Mercúrio em Câncer - Câncer (e todos os outros signos de água) é considerado um signo mudo, sem voz. Diz-se que, quando Mercúrio encontra-se em signos desse elemento, promove dificuldade na fala. Aqui a comunicação é influenciada por padrões emocionais e há tendência em absorver as informações, sem conseguir colocar pra fora de forma clara.
Pessoas com Mercúrio em Câncer tendem a ser melhores ouvintes que interlocutoras e, coincidência ou não, já observei mapas de diversos terapeutas com esse posicionamento.

Mercúrio em Leão -  Alguns astrólogos modernos consideram esse posicionamento como a queda de Mercúrio (eu discordo). Quem tem Mercúrio em Leão possui discurso dramático e convincente – muitos artistas possuem Mercúrio nesse posicionamento. Suas opiniões são firmes e a forma de expressão pode soar autoritária, já que as pessoas de Mercúrio em Leão por vezes tornam-se apaixonadas por suas próprias ideias, como se fossem uma extensão de seu ego. Como é natural dos signos fixos, quem tem Mercúrio em Leão dificilmente muda de opinião.

Mercúrio em Virgem - Aqui encontramos o domicílio e também a exaltação de Mercúrio. Enquanto Mercúrio em Gêmeos (signo que divide com Virgem o domicílio deste planeta) interage com o “macro”, Mercúrio em Virgem (signo de terra e naturalmente introspectivo), prefere o “micro”, tornando-se o melhor posicionamento para a pesquisa científica detalhada. Indica uma mente analítica, com grande habilidade de raciocínio lógico. A comunicação é direta e clara; feita sem rodeios.

Mercúrio em Libra - Quem tem Mercúrio em Libra gosta de considerar todos os lados de uma questão antes de tomar uma decisão e evita debates para não se indispor com ninguém. Isso não significa que não tenham opinião, o negócio é que… o objetivo é fazer ligações sociais e isso não se dá de outra forma, senão através da gentileza e das colocações feitas de forma ponderada – ou pelo menos é nisso que o libriano de Mercúrio acredita. Aqui identificamos o potencial e eloquência para articular as relações humanas.

Mercúrio em Escorpião - Escorpião também é um signo considerado mudo e sem voz , portanto, não é dado à tagarelices. Quem tem Mercúrio em Escorpião prefere dizer direta e objetivamente o que percebe (sempre através do “sentir” e da percepção intuitiva, já que é um signo de água), do contrário, prefere ficar em silêncio. A percepção aqui é profunda e a transmissão do que se percebe é feita aos moldes marcianos: sem rodeios e doa a quem doer.

Mercúrio em Sagitário - Em Sagitário, Mercúrio está debilitado. Sagitário opõe Gêmeos (domicílio de Mercúrio) e suas características diferem muito das do planeta – que fala sobre a expressão direta e objetiva. Quem possui Mercúrio em Sagitário tende a ser   prolixo e exagerado, expressando-se de maneira excessivamente formal – como se tivesse engolido um dicionário – ou fazendo muita firula; “pintando” as palavras para incrementar o discurso. O que percebo, é que o desejo em demonstrar saber acaba levando os sagitarianos de Mercúrio aos excessos.

Mercúrio em Capricórnio - Assim como todos os signos do elemento terra, Mercúrio em Capricórnio não se lança a mil coisas. O ponto forte desse posicionamento é o foco e a objetividade ao se expressar. O posicionamento também favorece a concentração e representa o gosto pelas ideias com valor prático. A expressão é formal e séria, bem direcionada e concisa.

Mercúrio em Aquário - Alguns astrólogos modernos atribuem a Aquário a exaltação de Mercúrio. Discordo dessa colocação, porque entendo que a característica fixa de Aquário limita o movimento que sugere o planeta e gera um perfil meio “cabeça-dura”.  Mesmo assim, creio que por estar em um signo de ar, Mercúrio em Aquário se expressa de forma mais confortável e clara, indicando uma mente inquieta, original e livre. A pessoa que tem Mercúrio em Aquário pode ser irredutível em suas opiniões e porta-voz de grupos.

Mercúrio em Peixes -  Em Peixes, Mercúrio encontra seu detrimento. Isso significa que, quando colocado nesse signo, Mercúrio não se expressa da maneira que deveria; não cumpre com seu papel. Enquanto Mercúrio fala sobre o raciocínio lógico e sobre a comunicação direta e objetiva, o signo de Peixes (regido por Júpiter e Netuno) tende ao devaneio, foge do foco e prefere o “abstrato”. Ter Mercúrio em Peixes não é indicativo de falta de inteligência, afinal, ela se expressa pelas mais diversas formas e Mercúrio não é seu único indicador, mas, se não houver aspectos que amenizem a debilidade do planeta, a comunicação se dá com certa dificuldade e de forma mais indireta.

Garoto de 15 anos cria teste que detecta três tipos de câncer em menos de cinco minutos

A técnica é 168 vezes mais rápida, 90% mais precisa, 400 vezes mais sensível e 26 mil vezes mais barata que as utilizadas atualmente. 
Todo ano, a Feira Internacional de Ciências e Engenharia (Intel ISEF) revela futuros talentos e descobertas. Em 2012, uma pesquisa em especial chamou a atenção dos jurados: uma técnica que detecta precocemente o câncer pancreático, de ovário e pulmão.

Incentivado pela morte de uma pessoa muito próxima devido a um câncer de pâncreas, o estudante de 15 anos (16 atualmente) Jack Andraka, de Crownsville, Maryland, começou a pesquisar sobre a doença, mais precisamente seus diagnósticos precoces. O que era apenas um interesse, entretanto, acabou lhe rendendo o maior prêmio da feira: o Gordon E. Moore.

O método, que consiste em um sensor não invasivo feito de papel, é 168 vezes mais rápido que os aparelhos usados atualmente, fornece resultados 90% mais precisos, 400 vezes mais sensíveis e 26 mil vezes mais baratos. O custo é de três centavos de dólar e o resultado chega em menos de cinco minutos.

O sensor pode testar urina ou sangue e, se o resultado for positivo para a proteína mesotelina, indica que o paciente é portador da doença. A tira também muda conforme a quantidade da proteína no sangue, o que pode, de acordo com Andraka, detectar o câncer antes mesmo dele se tornar invasivo.

— É crucial detectar esses tipos de doença em seus estágios iniciais, pois as probabilidades de vida são muito maiores — explica.

O prêmio de US$ 75 mil, arrematado pelo garoto, será utilizado para custear a faculdade. Andraka está, ainda, com um pedido pendente de patente e considerando abrir a sua própria empresa.

Sobre o câncer de pâncreas

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), pelo fato de ser de difícil detecção, o câncer de pâncreas apresenta alta taxa de mortalidade, por conta do diagnóstico tardio e de seu comportamento agressivo. 

No Brasil, é responsável por cerca de 2% de todos os tipos de câncer diagnosticados e por 4% do total de mortes por essa doença. 

Confira, em vídeo, a reação do garoto ao saber que tinha ganhado o prêmio



Veja o TEDx feito com Jack, onde ele explica detalhadamente a experiência (disponível somente em inglês)


Fonte

A Beleza está nos olhos de quem vê

Contratando um Músico ou Banda

Fonte

As 10 fotos mais tristes da história

A lista a seguir, que notadamente não é unanimidade, teve como objetivo identificar quais são as 10 fotografias mais tristes de todos os tempos. As imagens são referências de alguns dos momentos mais cruéis da história
A imagens a seguir foram retiradas de pesquisas através de compilação de reportagens e listas publicadas por jornais, revistas, sites especializados em fotografia, fotojornalismo e história.
A pesquisa teve como objetivo identificar quais eram as 10 fotografias mais tristes de todos os tempos. Participaram do levantamento as publicações: “Life”, “The Guardian”, “Der Spiegel”, “Telegraph”, “El Universal”, “The Pulitzer Prizes”, “Day Life”, “World’s Famous Photos”, “Digital History”, “Listverse”, “Jornal Opção”, “Al Fotto”, “National Geographic” e “World Press Photo”. Obviamente que listas são sempre incompletas. Sabe-se que, como a percepção, a opinião — que foi a base da pesquisa —, é algo individual.
Entretanto, as 10 fotografias selecionadas, se não são unanimidades no meio jornalístico e fotográfico (e possivelmente não serão entre os leitores), são referências incontestes de alguns dos momentos mais cruéis da história.
Eis, em ordem classificatória, as 10 fotografias selecionadas baseadas nas publicações pesquisadas.

Omayra Sanchez (1985)
A fotografia mostra Omayra Sanchez, uma menina de 13 anos que ficou presa em entulhos deixados pelo deslizamento causado pela erupção do vulcão Nevado del Ruiz, que arrasou com o povoado de Armero, Colômbia, em 1985. Os socorristas não conseguiram resgatá-la. Ela morreu cerca de 60 horas depois de ficar presa. A fotografia ganhou o World Press Photo de 1985 e se tornou uma mais comoventes da história. Fotografia: Frank Fournier

Biafra (1969)
A Guerra Civil da Nigéria ou Guerra do Biafra matou mais de um milhão de pessoas entre 1967 e 1970, principalmente de fome. Milhares de crianças foram acometidas de Kwashiorkor, patologia resultante da ingestão insuficiente de proteínas. O fotógrafo de guerra Don McCullin foi o primeiro a chamar a atenção para a tragédia. Fotografia: Don McCullin

Phan Thi Kim Phúc (1972)
Ganhadora do Prêmio Pulitzer em 1973 e a mais famosa fotografia de guerra de todos os tempos. Kim Phuc (a garotinha nua) corre ao longo de uma estrada perto de Trang Bang, no sul do Vietnã, após um ataque aéreo com napalm. Para sobreviver, Kim arrancou a roupa em chamas do corpo. Fotografia: Nick Ut

Execution of a Viet Cong Guerrilla (1968)
Ganhadora do prêmio Pulitzer, a fotografia mostra Nguyen Ngoc Loan, chefe da polícia sul-vietnamita, disparando sua pistola contra a cabeça de Nguyen Van Lem, oficial Vietcong, em Saigon. Embora chocante, a fotografia não conta toda a história. O homem assassinado havia matado uma família. Fotografia: Eddie Adams

A fome no Sudão (1993)
Fotografia publicada em março de 1993 no “New York Times” e responsável pela ascensão de Kevin Carter como fotógrafo. Em 1994, Kevin ganhou o Prêmio Pulitzer de Fotografia. Embora a fotografia seja impactante, o abutre não estava tão próximo do menino como a fotografia sugere — fato que continua causando controvérsias entre jornalistas e fotógrafos. O garoto da foto chamava-se Kong Nyong e sobreviveu ao abutre, morreu em 2007. Kevin Carter, o fotógrafo, se matou em 1994. Fotografia: Kevin Carter

Hiroshima (1945)
A fotografia mostra o primeiro bombardeio atômico da história. Em 6 de agosto de 1945, a cidade de Hiroshima foi devastada pela bomba atômica de fissão denominada Little Boy, lançada pelo governo dos Estados Unidos, resultando em 258 mil mortos e feridos. Fotografia: George William Marquardt (piloto do avião)

Racismo nos Estados Unidos (1950)
A fotografia, que causou indignação em todo o mundo, mostra bebedouros separados para brancos e negros, na Carolina do Norte, Estados Unidos. Até a década de 1950, os afro-americanos não tinham direito a voto, eram segregados socialmente e compunham a parcela mais pobre da população norte-americana. Fotografia: Elliott Erwitt

Uganda (1980)
Fotografia feita por Mike Wells, em abril de 1980, mostra uma criança da província de Karamoja, Uganda, de mãos dadas com um missionário. O contraste entre as duas mãos serve como um lembrete do abismo que separa países desenvolvidos e subdesenvolvidos. A fotografia permaneceu inédita durante anos. Fotografia: Mike Wells


The Falling Man (2001)
Fotografia feita por Richard Drew, fotógrafo da Associated Press, mostrando um homem caindo da Torre Norte do World Trade Center, em Nova York, durante os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001. Cinco anos após os ataques, o homem foi identificado como Jonathan Briley, de 43 anos, funcionário de um restaurante instalado na Torre Norte do World Trade Center. Entretanto, oficialmente, sua identidade nunca foi confirmada. Fotografia: Richard Drew

Mãe migrante (1936)
Um ícone da Grande De­pressão e uma das fotos mais famosas dos Estados Unidos. Florence Owens Thompson, 32 anos, desolada por não ter comida para alimentar os filhos. Jornalistas americanos passaram décadas tentando localizar a mãe e seus sete filhos. No final dos anos 1970 ela foi encontrada, não prosperara muito. Vivia em um trailer. Fotografia: Dorothea Lange

Fonte

Devemos orar não até Deus nos ouvir mas até que possamos ouvir a Deus

Fonte

A TV diz a você...

Fonte

Nara Leão - Pedro Pedreiro 1966


Pedro pedreiro penseiro esperando o trem
Manhã parece, carece de esperar também
Para o bem de quem tem bem
De quem não tem vintém

Pedro pedreiro fica assim pensando
Assim pensando, tudo passa
E a gente vai ficando pra trás
Esperando, esperando, esperando
Esperando o sol
Esperando o trem
Esperando o aumento
Desde o ano passado para o mês que vem

Pedro pedreiro penseiro esperando o trem
Manhã parece, carece de esperar também
Para o bem de quem tem bem
De quem não tem vintém

Pedro pedreiro espera o carnaval
E a sorte grande do bilhete pela federal
Todo mês
Esperando, esperando, esperando
Esperando o sol
Esperando o trem
Esperando o aumento para o mês que vem

Esperando a festa
Esperando a sorte
A mulher de Pedro
Está esperando um filho
Pra esperar também

Pedro pedreiro penseiro esperando o trem
Manhã parece, carece de esperar também
Para o bem de quem tem bem
De quem não tem vintém

Pedro pedreiro está esperando a morte
Ou esperando o dia de voltar pro norte
Pedro não sabe, mas talvez no fundo
Espere alguma coisa mais linda que o mundo

Maior que o mar
Mas pra que sonhar
Sei lá, no desespero de esperar demais
Pedro pedreiro quer voltar atrás
Quer ser pedreiro pobre nada mais
Sem ficar esperando, esperando, esperando
Esperando o sol
Esperando o trem
Esperando o aumento para o mês que vem
Esperando um filho pra esperar também
Esperando a festa
Esperando a sorte
Esperando a morte
Esperando o norte
Esperando o dia de esperar ninguém
Esperando enfim nada mais além
Que a esperança aflita, bendita, infinita
Do apito do trem
Pedro pedreiro pedreiro esperando
Pedro pedreiro pedreiro esperando
Pedro pedreiro pedreiro esperando o trem

Que já vem
Que já vem
Que já vem...

Ataque Zumbi - Não É Sério TV

sábado, 26 de outubro de 2013

RJ: Imagens exclusivas da resistência popular contra a privatização do petróleo brasileiro

Aline Duran - Bem Vindo A Selva 2008


audações a todos que andam no caminho estreito, a vossa moral não cai Aline Duran inna Raggamuffin' style, Haile Haile Haile Haile

Quem ainda tá em pé, grita ayê! 
Quem é vivo e honrado, eu mando um salve 
Quem ainda tá em pé, grita ayê!

Bem-vindo à selva de pedras denominada São Paulo 
Sobreviver aqui no caos é uma missão, eu falo 
Tem que ser ligeiro, pois pra tu perder é num estalo 
Pense antes de cada passo, não se mova por embalo 
Cidade grande, estamos falando a nível mundial 
Concentração de gente, ganância e de capital 
Onde a grana fala mais alto que o princípio e a moral Fortaleça o seu lado espiritual para não oscilar entre o bem e o mal 
Distribuição de renda desproporcional 
Em contrapartida valorização do consumo material Politicagem ganha bem e passa um bom Natal 
E o pobre fica na vontade e paga o pato no final 
Eu sei, protesto pra mídia não vende, não é comercial 
Eu sei, parte dela só serve pra dar anestésico mental 
Eu quero ouvir a voz de quem não se corrompe e é honesto não importa a sua condição social

Quem ainda tá em pé, grita ayê! Quem é vivo e honrado, eu mando um salve Quem ainda tá em pé, grita ayê!

Bem-vindo à selva 
Moleque anda descalço e fuma pedra 
Faz malabarismo em troca de moeda 
Enquanto a juventude se entorpece, se embebeda 
Deixam de lutar, preferem a realidade paralela 
E o que tu vai fazer quando "os homi" chegar? 
O que tu vai fazer quando "os homi" te enquadrar? 
Não adianta se explicar, na sua eles vão embaçar 
"Mão na cabeça, ganjaman!" 
Cacetete na mão, a palavra de ordem é a repressão 
É o braço direito do Sistema contra a população 
Direito de mudar, direito de expressão 
Rever condutas e leis é o grande tema dessa discussão 
Até quando vamos assistir a essa situação? 
Perceber que é preciso haver algum tipo de reação 
Quem não tem sangue de barata e entendeu toda a questão 
É mais um sobrevivente da selva, vem comigo no refrão

Quem ainda tá em pé, grita ayê! 
Quem é vivo e honrado, eu mando um salve 
Quem ainda tá em pé, grita ayê!

Respeito a toda a gente de bem, aos cidadãos decentes Seja um deles, seja um deles!

5 sinais de que você está no emprego errado

O despertador tocou hoje pela manhã avisando que o fim de semana prolongado terminou e mais uma semana de trabalho está prestes a começar. Só de ouvir o som do toque do celular o estômago “embrulha” e um desagradável frio na barriga se instala. “Odeio segunda-feira”, você pensa, enquanto se arrasta para o escritório.

Identificou-se com este cenário? Ele pode ser um indicativo de que você precisa repensar a sua trajetória ou carreira profissional, na opinião de especialistas consultados por EXAME.com. Confira este e outros sinais de que talvez você esteja no emprego errado:


1) Motivação zero

O frio na barriga característico da segunda-feira é um sintoma clássico. “É o sinal mais evidente de que a pessoa pode estar no emprego errado, porque revela a falta de motivação”, diz Meiry Kamia, psicóloga e consultora organizacional.

Não ver desafios, ter uma liderança fraca ou estar trabalhando para uma empresa que não apresenta perspectivas de carreira são algumas das causas apontadas por Edson Henriques, diretor técnico e comercial da consultoria Felipelli para que motivação esteja no nível zero.“O problema então está no trabalho atual. Não significa que tenha escolhido a carreira errada”, diz o especialista.

Mas se há desafios propostos pela empresa assim como perspectivas, a escolha de carreira pode ser o “x” da questão. “Talvez seja hora de pensar em uma transição”, recomenda Henriques.


2) Baixo desempenho

Metas, objetivos e resultados são palavras que assombram aqueles que estão com a produtividade em baixa. Principalmente nesta época, em que as empresas estão fazendo esforço para bater as metas e entregar os resultados projetados para este ano.


“Quando o profissional não entrega aquilo que é esperado, não bate as metas propostas, pode significar que as habilidades dele não estão alinhadas com a atividade profissional que desenvolve”, diz Henriques.

Se é esse o caso, fazer um mapeamento das habilidades e tentar relacioná-las a objetivos de carreira pode ser uma opção. “Quanto mais tempo a pessoa demorar a fazer isso, mais difícil é a mudança”, diz o especialista.


3) Salário é a única coisa que o prende ao trabalho

Nem relação com colegas nem o aprendizado, e muito menos a qualidade do trabalho desenvolvido. Se o salário for o único elo entre você e a empresa, tem-se mais um sinal de que você está no lugar errado.

“É o profissional que só vai trabalhar porque tem contas para pagar”, diz Meiry. De acordo com ela, apesar de se falar muito em dinheiro, sustentar uma situação só por conta dele é cada dia mais difícil. “O dinheiro está entre os fatores mais baixos de motivação”, explica.

“A pessoa não vê significado algum no seu trabalho”, diz Henriques. Na opinião dele, acomodar-se nesta situação, é péssimo. “É preciso se mover para mudar essa situação, se planejar”.


4) Passar boa parte do expediente procurando outro emprego

Manter-se no mercado e estar a par das oportunidades profissionais é importante e aumenta as chances de subir na carreira.
Mas, deixar de trabalhar para fazer essa busca durante o expediente diz muito sobre a sua insatisfação. “Isso reflete que a pessoa não está de corpo e alma naquele emprego”, diz Meiry.

Já que está procurando uma nova oportunidade, Henriques recomenda que antes de partir para outra função algumas perguntas sejam respondidas. “O que lhe dá prazer no trabalho, qual a área de interesse e de onde vem a motivação?”, exemplifica.

 De acordo com ele, quando há a correspondência entre as vontades como indivíduo e as conquistas do dia a dia, a motivação aparece.


5) Você adoece com frequência

Em casos extremos, a saúde física e mental é comprometida. “A descrença no amanhã baixa o nível energético e a resistência do corpo à doenças cai”, diz Meiry. Tanto o plano físico com o mental podem ser afetados, segundo a especialista.

“Quanto se atinge um nível crítico e a pessoa não vai lendo os sinais, ela acaba adoecendo até perceber que é hora de sair”, diz Meiry.
“As pessoas passam a maior parte do tempo dos seus dias trabalhando, se isso for um fardo pode até atingir o estágio de aparecer uma doença”, concorda Henriques.

De acordo com ele, se ao longo do dia não há nenhum momento de prazer, isso pode significar que atividade profissional está deslocada dos gostos e vontades da pessoa.

“Tem que ter uma entrega, a motivação por contribuir dentro do contexto da empresa, mas se o tempo todo ele está passando mal, não há úlcera que aguente”, diz Henriques.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Bandavoou - Tempo Mãe 2011


Sacundairê-gundô
Sacundairê-gundô-hum
Dereiê-gundê

Sacundairê-gundô
Sacundairê-gundô-hum

O tempo vem me dando sinal
Do quanto a vida é tão curta
Então pra quê sentir culpa
De um tempo que já passou

E a vida vem me dando sinal
Do quanto ela é tão curta
Portanto, você me curta
Enquanto aqui estou

Você diz que o tempo não pára
Mas, carrega consigo essa dor
De esperar esse tempo que ainda
não chegou, nem virá

Esperando o momento perfeito
Para enfim começar a viver
Você fecha os olhos pra o que
Pode acontecer

Dê uma chance ao amor
Preze a vida como for
Um encontro na beira do mar

Vai encontrar no desatino
Na beleza de um menino
Ou de um pobre sem lar

Dê uma chance a música
A todo jogo à vera
Ao que se há de conquistar
Tudo que tem valor

Sacundairê-gundô
Sacundairê-gundô-hum
Dereiê-gundê

Sacundairê-gundô
Sacundairê-gundô-hum
___________________________
Letra: Carlos Filho e Luiz Diniz
Música, Violão e Voz: Carlos Filho
Edição e Imagens: Marina Sobral

Bandavoou - Como É Que Tá? 2012



-Como é que tá?
-Como é que vai?
-Quanta saudade de você
-Eu já nem sei como é que é te abraçar
-Pois é, nem eu

-Eu ando bem, fui viajar
-Parei um pouco de beber
-Ontem pensei em te ligar
-Mas se esqueceu
-Pra você ver

-Mas e aí? Me conta mais
-Não mudei muito
-Eu mudei
-Cortei pra ver se fica bom
-Tá bom assim
-O seu também

-Ontem eu vi você passar
-Mas será mesmo que era eu?
-Creio que sim e além do mais você me viu
-Não, não era eu

-Será que eu posso perguntar? 
-Mas que besteira, tudo bem
-Você às vezes pensa em mim?
-Às vezes não, ás vezes sim

-Vamos nos ver
-Vamos marcar
-Sexta que vem?
-Não dá pra ser
-Quando puder é só ligar
-Se eu demorar
-Foi bom te ver

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Você ousa sonhar?

Respiração das Narinas Alternadas / Nadi Shodana - Sri Sri Yoga

Dilma e o Pré-sal

Menino chinês consegue ver no escuro

Chamam-lhe a criança com "olhos de gato", e continua a ser um mistério para a comunidade médica e científica.

Nong Shihua é um menino chinês que tem despertado a curiosidade de muitos. Quando bebê, o pai percebeu que algo de estranho se passava com os olhos do filho, já que a íris de Nong apresentava um brilho colorido entre o verde e o azul.

Depois de ter levado o filho ao hospital, os médicos concluíram que o menino apresentava uma maior sensibilidade à luz. Fora isso, nada de estranho, disseram. 

Os anos passaram, mas o brilho colorido não desapareceu. Até que, recentemente, o pai de Nong Shihua decidiu procurar especialistas e pedir ajuda, porque o filho garantia ver perfeitamente no escuro. Concluiu-se então que o pequeno jovem é capaz de ler e escrever na escuridão total.

Chamam-lhe "olhos de gato". Estudado por cientistas, biólogos e genéticos, os investigadores ainda esperam descobrir porque é que este pequeno jovem consegue ver perfeitamente no escuro.

sábado, 19 de outubro de 2013

História de um Brâmane - Voltaire

Durante as minhas viagens encontrei um velho brâmane – homem muito sábio, cheio de espírito e erudição; além do mais, era rico, e portanto mais sábio ainda, já que, como não lhe faltava nada, não precisava enganar ninguém. Sua casa era otimamente governada por três lindas mulheres que faziam de tudo para agradá-lo; e quando não se divertia com elas, sua ocupação era filosofar.

Perto de sua moradia, que era bonita, bem decorada e cercada de encantadores jardins, morava uma velha hindu, muito devota, imbecil e extremamente pobre.

– Quem me dera não ter nascido! – disse-me um dia o brâmane. Perguntei-lhe por quê. – Faz quarenta anos que eu estudo – respondeu-me –, e foram quarenta anos perdidos: ensino os outros, e ignoro tudo; esse estado me enche a alma de tanta humilhação e desgosto que faz com que minha vida seja insuportável. Nasci, vivo no tempo, e não sei o que é o tempo; encontro-me num ponto no meio das duas eternidades, como dizem os nossos sábios, e não tenho a mínima idéia do que seja a eternidade. Sou feito de matéria, penso, e nunca pude saber o que é que produz o pensamento; ignoro se o meu entendimento é em mim uma simples faculdade, como a de caminhar, de digerir, e se penso com a minha cabeça como seguro com as minhas mãos. Não apenas o princípio de meu pensamento me é desconhecido, mas também o princípio dos meus movimentos: não sei por que existo. Não obstante, cada dia me fazem perguntas sobre todos esses pontos; é preciso responder; nada tenho que preste para lhes comunicar; falo bastante, e fico confuso e envergonhado de mim mesmo depois de haver falado. O pior é quando me perguntam se Brama foi produzido por Vixnu, ou se ambos são eternos. Deus é testemunha de que nada sei a respeito, o que bem se vê pelas minhas respostas. “Ah! Meu reverendo”, implorou-me, “dizei-me como é que o mal inunda toda a Terra.” Sinto-me nas mesmas dificuldades que aqueles que me fazem tal pergunta: digo-lhes algumas vezes que tudo vai o melhor possível; mas aqueles que foram arruinados ou mutilados na guerra não acreditam nisso, nem eu tampouco; retiro-me abatido pela curiosidade e pela minha ignorância. Vou consultar meus companheiros: respondem-me alguns que o essencial é gozar a vida e zombar dos homens; outros acreditam saber alguma coisa, e perdem-se em divagações; tudo contribui para aumentar o doloroso sentimento que me domina. Às vezes me sinto à beira do desespero, não sei nem de onde venho nem para onde vou nem no que me transformarei.

O estado desse excelente homem me causou verdadeira compaixão: ninguém tinha mais senso e boa-fé. Compreendi que, quanto mais luzes havia no seu entendimento e mais sensibilidade no seu coração, mais infeliz era ele.

Vi no mesmo dia a velha sua vizinha: perguntei-lhe se alguma vez havia ficado aflita por querer saber como era a sua alma. Ela nem entendeu a minha pergunta: jamais em sua vida refletira um instante sobre um só dos pontos que atormentavam o brâmane; acreditava de todo o coração nas metamorfoses de Vixnu e, desde que algumas vezes pudesse conseguir água do Ganges para se lavar, considerava-se a mais feliz das mulheres.

Impressionado com a felicidade daquela criatura, voltei ao meu filósofo e lhe disse:

– Não te envergonhes de ser infeliz, quando mora à tua porta um velho autômato que não pensa em nada e vive feliz?

– Tens razão – respondeu-me ele. – Mil vezes eu disse a mim mesmo que seria feliz se não fosse tão tolo como a minha vizinha, contudo não desejaria tal felicidade.

Essa resposta me impressionou mais que todo o resto; consultei minha consciência e vi que na verdade também não desejaria ser feliz sob a condição de ser imbecil.

Apresentei a questão a filósofos, e eles concordaram com a minha opinião. “Contudo”, dizia eu, “existe uma terrível contradição nessa maneira de pensar”. Pois de que se trata, afinal? De ser feliz. Que importa, então, ter espírito ou ser tolo? Mais ainda: aqueles que estão contentes consigo mesmos estão bem certos de estar contentes; mas aqueles que raciocinam não têm tanta certeza de raciocinar bem. “É claro”, dizia eu, “que se deveria preferir não ter senso comum, desde que este contribua, o mínimo que seja, para o nosso mal-estar.” Todos concordaram comigo, porém não encontrei ninguém que aceitasse se tornar imbecil para se sentir contente. Daí concluí que, se damos muito valor à felicidade, damos mais ainda à razão.

Contudo, pensando bem, parece uma insensatez preferir a razão à felicidade. Como explicar, então, tal contradição? E também todas as outras. Há muito a discutir a respeito disso.

Preso político, microbiólogo fala das humilhações que sofreu no cárcere

Telekinetic Coffee Shop Surprise

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Emicida - Cê Lá Faz Idéia 2010


Tupac já dizia:
Algumas coisas nunca mudam (2x)

São regras do mundão
Perdi as contas de quantos escondem a bolsa se eu digo: que horas são?
Taxista perguntam mais que os policiais a mim, sim
Indescritível como é ruim
Nasci vilão, só veneno
Com o incentivo que me dão, errado tô se eu não virar mesmo
Suor na cara, levando currículo, cara
A pé porque onde eu moro, o buso não para
Pé de barro, meio dia
Inspirando piada nos boy, transpirando medo nas tia
Tudo é tão óbvio
Cê não vê e vai juntando ingrediente da bomba relógio
Eu sinto dor, eu sinto ódio
É quente, sem nem saber o nome dessa gente
Católica, de bem, linda
Se já notou, e ó que eu nem falei a minha cor ainda

Refrão:

Cê lá faz ideia do que é ver, vidro subir, alguém correr quando avistar você?
Não, cê não faz ideia, não faz ideia, não faz ideia.
Cê lá faz ideia do que é ver, vidro subir, alguém correr quando avistar você?
Não, cê não faz ideia, não faz ideia, não faz ideia.

Explica pra assistente social
Que pai de gente, igual a gente, não sabe usar a mente, só o pau
Que quem educa nóiz, na escola estadual
Joga na cara toda manhã o quanto ganha mal
Que é incrível,
Quantos da gente sentam no final da sala pra ver se ficam invisível
Calcula o prejuízo
Nossas crianças sonham que quando crescer, vai ter cabelo liso
Sem debater, fato
Que a fama da minha cor fecha mais portas que zelador de orfanato
Cê sabe o quanto é comum, dizer que preto é ladrão
Antes mesmo de a gente saber o que é um
Na boca de quem apoia, desova e se orgulha da honestidade que nunca foi posta a prova
Eu queria te ver lá, tiriça
Pra ver onde você ia enfiar essa merda do teu senso de justiça

Refrão.

Fazendeiro mata urso com um mata-leão

O fazendeiro Blazo Grkovic, de 48 anos, está se recuperando em um hospital depois de um encontro quase fatal com um urso na região montanhosa de Foca, na Bósnia.

Se o encontro foi quase fatal para ele, o urso não teve a mesma sorte.

Grkovic virou uma espécie de celebridade no hospital depois que sua história passou a circular nos corredores, dizendo que um sujeito internado lá havia matado um urso com as próprias mãos.

Depois disso, o fazendeiro foi obrigado a repetir a história tantas vezes que até o jornal britânico Metro foi atrás dele.

— Eu o peguei pelo pescoço e apertei, apertei até que ele apagou. Ele me mordeu e eu bati nele até que ele morresse. Eu tinha machucados em todo o corpo — especialmente no braço esquerdo, onde ele mordeu duas ou três vezes.

Grkovic diz que a batalha foi feia e que ele teve muita sorte por sair vivo.

Em sua cama de hospital, ele conta que, depois de ter dado cabo do urso com um mata-leão, conseguiu ligar para o irmão que já chegou onde ele estava acompanhado por uma ambulância. 

Fazendeiro mata urso a facadas na Sibéria

Um homem de 55 anos esfaqueou um urso pardo até a morte ao ser atacado pelo animal na república siberiana da Yakútia, informou na segunda-feira, 7, o departamento de polícia da região.

 De acordo com as autoridades, o episódio se deu enquanto um fazendeiro, cujo nome não foi divulgado, cuidava dos seus cavalos em uma remota vila da Sibéria.

“O urso o atacou enquanto ele alimentava os seus cavalos, mas ele permaneceu calmo, pegou uma faca e acertou o animal várias vezes, até mata-lo”, disse a polícia em nota. 

O homem teve inúmeros ferimentos na cabeça e no rosto, entretanto, segundo os médicos do hospital para o qual foi levado, ele não corre risco de vida.

'Vampiro' mata a filha após morder pescoço e beber seu sangue

Um morador de Papua-Nova Guiné descrito como "vampiro" foi preso acusado de matar sua filha pequena após morder seu pescoço, comer a carne do corpo e beber seu sangue. 

A polícia investiga o caso, que aconteceu na última quarta-feira, como um ato de canibalismo. As informações são do site The Daily Star.

Uma das primeiras pessoas a observar a cena, o conselheiro local (cargo similar ao de vereador) John Kenny, descreveu o cenário. 

Ele afirmou ao PNG Post Courier que a menina, de três anos de idade, e a mãe dela foram visitar o pai, que em um momento pegou a menina e correu em direção a alguns arbustos na proximidade. 

A testemunha disse que o "vampiro" trouxe a filha para perto de si, mordeu seu pescoço, comeu parte de seus músculos e sugou sangue da menina. 

Dois garotos que subiam em uma árvore viram o suposto ataque e saíram correndo para alertar a população. 

O "vampiro" não teria ficado preocupado. "Ele simplesmente riu para os garotos e continuou comendo a carne e bebendo o sangue", afirmou Kenny ao jornal. "Os meninos ficaram assustados e correram depressa para dar o alarme."

Quando pessoas chegaram para averiguar a situação, o homem teria jogado o corpo no mato e corrido antes de ser capturado e apresentado à polícia. 

De acordo com a matéria, a Papua-Nova Guiné é um país onde magia negra, bruxaria e canibalismo têm crescido ultimamente.

RJ: Policiais são encurralados por manifestantes e batem em retirada

Imagens exclusivas do protesto em defesa da educação pública no Rio de Janeiro

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Rashid - Vício (Part. Tássia Reis) 2013

Ela é tipo cafeína pura, uma mistura de rotina com um pouco de adrenalina e aventura,
Que me prende feito a ditadura, sua doçura me ilumina, seu lado que me desatina tem censura.
Menina pequena que dá tontura se deseja, grande mulher que me torna o moleque que gagueja.
Garante a minha perdição com suas intenções, perante a minha intenção com suas perdições.
Ela é uma droga pesada que te arranca de casa, e ao mesmo tempo é o motivo de voltar pra casa.
Ela é lunática e perfeita, essa é pra casar, daquelas que mata o noivo no altar se atrasar!
Te arremessa na cama e te põe no divã, é o veneno mortal no seu café da manhã.
É o amor matinal e a roubada de brisa, até sua foto 3x4 é arte monalisa.
Mano avisa lá que hoje eu não vou jogar, porque ela acaba de ligar dizendo que tá muito louca
Pra que eu fique muito louco também, esperando ela voltar pra me fazer de refém.
Isso parece crime mas eu não quero abrir ocorrência, senão eu sofro de abstinência.
Ela combina carinho e independência com poesia, e inocência... Essa mina vicia!

[Refrão:]
Tira minha paz e o fôlego só que faz isso parecer muito bom, muito bom... (2x)

Ela é tipo nicotina pra quem fuma, uma casa na colina e vista pro mar,
Uma estrada com neblina e luz alguma, filma, manda nisso tudo feito a dilma.
Numa escala de perigo 0 a 10 ela é 11, sua aura é cor de ouro, seus olhos são cor de bronze;
Seu sorriso carrega uma luz divina, mas sua tpm é a bomba de hiroshima.
É a dor de cabeça e a própria aspirina, é o doce do licor num gole de gasolina.
É a comédia que te faz chorar de rir, e o filme de terror que te deixa sem dormir.
Ela é a trama no drama, drama na trama, é a chama no salto é o álcool na chama.
Ela é chave de cadeia meu chegado, mas por essa vale a pena ver o sol nascer quadrado!
Ó, crime perfeito, mata a minha saudade, não deixa nenhuma pista, fuga em velocidade...
Sei que ela é de verdade mas parece mentira, e se passar da dose certa com certeza você pira.
Inspira, respira, te traz pra realidade que te tira.
Sem dúvida o olhar dela conspira, e alicia, covardia, essa mina vicia!
[Refrão.] (2x)

Rashid - E Se? 2010


Han han, dia 31 de março nas ruas...
É hora de acordar!

E se isso for ilusão?
E se todos que disserão 'não' realmente tivessem
Razão?
Pra que insistir? se no começo eu tivesse me
Perguntado,
E se? perguntado,
E se não foi ilusão?
Se você desistir, perder a chance de ter tudo na sua
Mão!
E se cada mc, antes de pegar no mic, se perguntasse e
Se?
Eu te pergunto; e se?

E se o michael ainda fosse preto?
Se o hip hop nunca tivesse ido ao gueto?
E se obama fosse branco e casa não?
E se jesus não conhecesse a palavra perdão?
Se não ouvesse mais esperança pra nóiz?
E se a rua ainda procurasse uma vóz?
Entre os melhores mc's dizem palavrões
E se vocês se ligarem que a tv diz coisas muito
Piores?
Se eu não rimasse aquilo que componho?
Se lutherking nunca tivesse tido aquele sonho, ou ido
A igreja?
E se bambaataa invés de comprar o primeiro disco,
Tivesse comprado uma breja?
Se tudo funcionasse como deveria?
Se o b.i.g ficasse em casa naquele dia?
Se o tupac nunca desse rec ou gravasse uma track?
Hey, e se você nem tivesse ouvido esse rap?

E se isso for ilusão?
E se todos que disserão 'não' realmente tivessem
Razão?
Pra que insistir? se no começo eu tivesse me
Perguntado,
E se? perguntado,
E se não foi ilusão?
Se você desistir, perder a chance de ter tudo na sua
Mão!
E se cada mc, antes de pegar no mic, se perguntasse e
Se?
Eu te pergunto; e se?

E se a gente fosse o sistema?
Se a casa do hip hop fosse no seu coração e não só em
Diadema?
Se o dilema fosse cash?
O carandiru nunca tivesse sido uma prisão e sim uma
Creche?
Ó, e se a gente quisesse vingança?
Nó, e se não fosse as nossas crianças,
A esperança do país?
E se a maioria se apegasse um pouco menos ao espelho e
Mais a raiz?
Pra ser feliz!
E se as pessoas perderem esse medo de enxergar além
Do próprio nariz?
O x da questão se estinguiria,
Mas e se james brown tivesse escolhido tocar bateria?
Como seria? se suas leis adiantassem?
E se os seus carros já voassem?
E o mundo honrasse o compromisso?
E se o bluetooth transmitisse o amor, já que seus
Olhares não fazem mais isso?

E se isso for ilusão?
E se todos que disserão 'não' realmente tivessem
Razão?
Pra que insistir? se no começo eu tivesse me
Perguntado,
E se? perguntado,
E se não foi ilusão?
Se você desistir, perder a chance de ter tudo na sua
Mão!
E se cada mc, antes de pegar no mic, se perguntasse e
Se?
Eu te pergunto; e se?

E se eu contasse quantos ganharam?
Ou tivesse escolhido o caminho que me apontaram?
Irmão, se você visse o que eu vi?
Ai se minha mãe minha mãe não orasse por mim toda
Noite antes de dormir?
Se não ouvesse rescessão,
Em metade dos que apertão minha mão, tivessem boa
Intenção?
Dizem por dinheiro não,
Mas é fácil falar do pecador se você nunca viu a
Tentação!
E se hoje fosse seu último dia?
Ou melhor, e se hoje fosse seu primeiro dia?
Cê tá pronto pra entrentar?
Como seria se a gente parasse de se perguntar 'e se?'
Toda vez antes de tentar?
E se a culpa fosse nossa e não do governo?
E se o povo desse um passo e saisse do meio termo? de
Primeira
E se o rap te tratasse como criança...
Já que você trata ele como brincadeira?

E se isso for ilusão?
E se todos que disserão 'não' realmente tivessem
Razão?
Pra que insistir? se no começo eu tivesse me
Perguntado,
E se? perguntado,
E se não foi ilusão?
Se você desistir, perder a chance de ter tudo na sua
Mão!
E se cada mc, antes de pegar no mic, se perguntasse e
Se?
Eu te pergunto; e se?

E se? eu te pergunto, e se?
E see? e se irmão?
Vive agora, não improta qual for seu caminho, vive o
Momento!
Tá ligado mano, para de se perguntar e se
Um só

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Suspeita de comprar estanho que é extraído por crianças e arrasa um paraíso ambiental, Apple reage tratando usuários como otários

Toda vez que um novo iPhone está para ser lançado, produz-se um frisson mundial. No caso do novo Iphone 5S, não foi diferente. Pessoas acamparam por semanas em frente à loja da Apple em Nova York, esperando que suas portas se abrissem. Quando isso finalmente ocorreu, foram saudadas pelos funcionários como se tivessem acabado de conquistar uma medalha de ouro nas Olimpíadas. Mas por trás de toda a fanfarra de marketing, existe uma realidade que quase nunca é acompanhada pela mídia com tanta empolgação como as filas em frente das lojas.
O jornalista britânico George Monbiot começou a revelá-la esta semana, em seu blog. A Apple, demonstrou ele, participa de um dos crimes ambientais que melhor expõem a desigualdade das relações Norte-Sul e a irracionalidade contemporânea. Ela provavelmente compra estanho produzido, na Indonésia, em relações sociais e de desprezo pela natureza que lembram as do século 19. Pior: convidada por ativistas a corrigir esta prática, a empresa esquiva-se – destoando inclusive de suas concorrentes. E, ao fazê-lo, usa argumentos que sugerem: trata o público s seus consumidores como se fossem incapazes de outra atitude mental além do ímpeto de consumo.
Monbiot refere-se ao uso, pelos fabricantes de celulares, do estanho extraído da ilha de Bangka, na Indonésia. O metal é indispensável para a soldagem interna dos smartphones. Cerca de 30% da produção global concentra-se na Indonésia – mais precisamente, em Bangka. O problema são as condições de extração.
O jornalista as descreve: “Uma orgia de mineração sem regras está reduzindo um sistema complexo de florestas tropicais e campos a uma paisagem pós-holocausto de areia e subsolo ácido. Dragas de estanho, nas águas costeiras, também estão varrendo os corais, os manguezais, os mariscos gigantes, a pesca e as praias usadas como ninhos pelas tartarugas”.
A cobiça pelo estanho barato não poupa nem a natureza, nem o ser humano. Monbiot prossegue: “Crianças são empregadas, em condições chocantes. Em média, um mineiro morre, em acidente de trabalho, a cada semana. A água limpa está desaparacendo. A malária espalha-se e os mosquitos proliferam nas minas abandonadas. Pequenos agricultores são removidos de suas terras”
Estas condições desesperadoras desencadearam reação de ativistas. A organização internacional Amigos da Terra articulou o movimento. Não se trata de algo conduzido por rebeldes sem causa. A campanha reconhece que eliminar a mineração seria uma proposta inviável, por desempregar milhares de pessoas. Propõe, ao contrário, um pacto. Todo o estanho produzido em Bangka é adquirido pelas corporações que fabricam celulares. Se elas concordarem em respeitar condições sociais e ambientais decentes, a exploração de gente e da natureza não poderá prosseguir.
Sete fabricantes transnacionais abriram diálogo com a campanha: Samsung, Philips, Nokia, Sony, Blackberry, Motorola e LG. A única das grandes fabricantes a se recusar foi a Apple – também conhecida por encomendar a fabricação de seus aparelhos às indústrias de ultra-exploração do trabalho humano da Foxconn.
O mais bizarro, conta Monbiot, são os estratagemas primitivos usados pela Apple para evitar um compromisso de respeito aos direitos e à natureza. O jornalista procurou por duas vezes, nos últimos dias, o diretor de Relações Públicas da empresa. Propôs, em nome da transparência, um diálogo gravado. Sugestão negada. Na conversa reservada, relata, não obteve informação alguma, exceto uma sugestão: dirija-se a nosso site.
Mas é lá, diverte-se Monbiot, que a Apple mais zomba da inteligência dos consumidores. A corporação informa, placidamente, que “a Ilha de Bangka, na Indonésia, é uma das principais regiões produtoras de estanho no mundo. Preocupações recentes sobre a mineração ilegal de estanho na região levaram a Apple a uma visitas de inspeção, para saber mais”. Mas a Apple não reconhece que compra o metal produzido em Bangka – provavelmente para não se comprometer com a campanha contra a exploração devastadora. O jornalista, então, pergunta: “Por que dar-se ao trabalho de uma visita de inspeção, se você não usa o estanho da ilha? E se você usa, por que não admiti-lo?”
Tudo isso sugeriria renunciar a um celular? Claro que não, diz Monbiot. Trata-se de exigir das empresas respeito a normas sociais e ambientais. Pressionadas, sete corporações transnacionais ao menos admitiram debater o tema. A Apple destoou. Quem tem respeito pelos direitos sociais e pela natureza deveria evitar os aparelhos da empresa, recomenda o jornalista.
Quem quer ir além pode, por exemplo, optar pelo Fairphone, celular produzido por empreendedores expressamente interessados em proteger direitos e ambiente. Estará disponível a partir de dezembro. Porém, mais de 15 mil unidades já foram vendidas, nos últimos meses a consumidores conscientes.

Fonte

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Após cancelar casamento casal oferece festa para moradores de rua

Link/Fonte

Sete alimentos transgênicos que você deveria evitar

Link
Fonte

Píton de 3 metros vomita 2 gatos ao ser capturada por policiais nos EUA

A cobra com mais de 3 metros comeu os gatinhos ao ser abandonada.

Um morador da Flórida notou a cobra em frente à sua casa. Imediatamente a polícia foi chamada para capturar o réptil.

Quando os policiais chegaram, ficaram assustados ao verem a cena: a cobra havia engolido dois gatos e estava regurgitando-os.

“Eu acho que ela entrou em modo de defesa”, comentou Martin County, policial responsável pela missão. “Ela regurgitou um gato de tamanho médio e um pequeno”, disse.

Segundo os biólogos, o comportamento de vomitar uma refeição é realizado para que ela possa fugir com mais rapidez.

“Inicialmente estava um pouco agressiva, mas reconheceu que estava sendo manipulada por humanos e se tornou dócil”, disse Willie Weiss em entrevista à WPBF.

As autoridades acreditavam que a cobra trata-se de um animal de estimação que foi abandonada por seu dono que desistiu de criá-la.

Cadela adota e amamenta três filhotinhos de tigres

Uma cadela da raça labrador adotou três filhotes de tigres.

Eles nasceram no Zoológico de Nanchang, na província de Jiangxi, China. De acordo com os veterinários, eles estavam propensos à morte pela falta da mãe que os rejeitou.

De acordo com informação do Global Times, os funcionários disseram que a tigresa não tinha experiência suficiente para cuidar dos filhotes de uma só vez e outros filhotes já haviam morrido por negligência dela.

A labradora foi escolhida para ser a mãe adotiva e ela prontamente aceitou o desafio. Segundo o jornal, a dedicação que ela tem com os filhotes emociona e comove quem presencia a cena.

Consumidora de Brasília diz ter encontrado uma lesma no suco Del Valle

Mais um caso de bichos estranhos encontrados em produtos industrializados.

A empresária Jussara Santos Rodrigues, 22 anos, consumiu o produto e desde o primeiro gole sentiu que o gosto estava estranho.

De acordo com declaração à imprensa, ela sentiu sabor forte que não era característico do suco. O produto foi comprado, segunda-feira, dia 30, em um grande supermercado de Vicentes Pires, cidade satélite do Distrito Federal.

Na noite seguinte seu pai foi tomar o resto do suco e sacudiu a embalagem, colocando todo o conteúdo em um copo. Neste momento veio a surpresa: ele teria visto um corpo estranho dentro do suco. Jussara pegou um garfo e percebeu que a “coisa estranha” era uma lesma!

“Só de pensar na cena meu estômago começa a embrulhar”, comentou a empresária. Eles entraram em contato com a empresa Del Valle que se prontificou a trocar o produto.

A Brasil Refrigerantes, representante oficial da Del Valle no Distrito Federal, informou que tentou trocar o produto, mas a empresária não aceitou.

Ela acionou um advogado para processar a empresa: “Eu estou sentindo algumas coceiras pelo corpo. Mas minha sogra achou melhor esperar um pouco para saber se isso é uma reação do suco”, comentou Jussara.

O PROCON sempre orienta que em casos como este o consumidor deve guardar a embalagem e procurar o órgão para registrar o ocorrido. Em cerca de 30 dias o laudo da Vigilância Sanitária irá dar o parecer técnico sobre o que de fato foi encontrado no suco.

Caso fique confirmado se tratar de uma lesma, todo o lote do produto deverá ser retirado de circulação e a empresa poderá ser multada.