sábado, 5 de agosto de 2017

Individualidade biológica!

Você já se questionou por que uma dieta pode funcionar tão bem para uma pessoa, enquanto outra se frustra com os resultados alcançados? Ou, por que em estudos científicos quanto à suplementação de cafeína, por exemplo, a maioria de um certo grupo de indivíduos, apresenta resultados excelentes, enquanto alguns indivíduos do mesmo grupo podem apresentar resultados negativos? O que faz um nutriente ser relevante para a saúde de uma pessoa, mas não para todas as pessoas? Por que mesmo tendo um fator de risco de uma doença expresso nos genes, uma pessoa pode não manifestá-la? [...]
Contrariando o ditado “está nos genes” – antes utilizado para dizer que nossa saúde era herdada da família, predeterminada pela genética –, hoje sabemos que isso é apenas parte da verdade. A outra parte é que também podemos influenciar os genes, reduzindo sua expressão ou manifestação clínica com o uso de nutrientes, trazendo para nós mesmos a possibilidade do controle de nossa saúde – o conceito de medicina e nutrição personalizada. [...]
Linus Pauling, no início da década de 1950, demonstrou que a origem da doença era influenciada por radicais livres e que existia uma dose adequada de nutrientes para cada pessoa e não uma dose padrão para todos. Com esta noção da individualização da nutrição, Pauling trouxe à tona a “medicina ortomolecular”. Em sua publicação na revista Science, relatou a primeira prova da relação entre uma doença humana e uma alteração numa proteína específica. [...] Já em 1956, o Dr. Roger Williams introduziu o princípio da “individualidade bioquímica”, anunciando uma nova era na nossa compreensão da etiologia da doença e o papel dos nutrientes como ferramentas de intervenção. Notavelmente, o Dr. Williams reconheceu que o estado nutricional pode influenciar a expressão de características genéticas, embora na época não houvessem ferramentas disponíveis para determinar a individualidade bioquímica e genética. Assim, o conceito de “medicina individualizada” começou a ser introduzido e marcou o pioneirismo dos campos da Nutrigenômica e Nutrigenética.

Nenhum comentário:

Postar um comentário