sábado, 28 de dezembro de 2013

Sinais misteriosos intrigam moradores de pequena cidade catarinense

Desenhos geométricos surgem em plantações há seis anos em Ipuaçu (SC). Perito diz que figuras não são humanas.

A pequena cidade de Ipuaçu, no Estado de Santa Catarina, localizada a 560 km de Florianópolis, virou ponto turístico e de estudo para os amantes da ufologia, o estudo de fenômenos causados por Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs). 
 
E o que tem atraído os olhos dos especialistas são as recorrentes aparições de misteriosas figuras geométricas nas plantações de trigo e triticale da cidade.

Para eles, Ipuaçu recebe visitantes “não terrestres” entre os meses de outubro e novembro, desde 2008, quando o primeiro agroglifo foi visto.

Os últimos sinais foram registrados no dia 2 de novembro, por volta das 8h, em um campo de trigo. A primeira imagem é de uma espiral com 13 faixas no sentido horário com 54,6 metros de diâmetro.

O segundo era composto por um círculo com um hexágono com os mesmos 54,6 metros de diâmetro. Para o ufólogo Ademar Gevaerd, os sinais são mensagens que precisam ser traduzidas.

“Nenhum outro local do Brasil já registrou o fenômeno. Essas figuras carregam uma mensagem ainda não decifrada”, explica.

Há 20 anos atuando como perito do Instituto de Criminalística (IC) do Paraná, Inajar Antonio Kurowski visitou Ipuaçu e escreveu um relatório sobre o caso.

Curioso pelo tema desde criança, ele relatou no documento que os desenhos “geométricos, simétricos e harmônicos" não poderiam ser realizados por força humana.

“A estética até pode ser reproduzida e falsificada, mas não há explicação para as alterações físicas de plantas e solos e a mudança do campo eletromagnético dentro das figuras”, defende.

O prefeito de Ipuaçu, Denilso Casal, conta que lutou contra o próprio ceticismo, em 2008, quando pisou em uma área com um símbolo.

“Acho que não estamos preparados para esse contato [com seres extraterrestres]. No começo, não acreditava. Mas depois de seis anos não dá para ignorar”, diz. Para Casal, o evento ainda é uma incógnita, mas é claramente realizado por uma inteligência superior.

O político acredita que o mistério acabou rendendo bons frutos para a cidade com quase 7 mil habitantes, que virou rota turística dos amantes da ufologia. E cita que no ano passado chegou a ser alvo de um boletim de ocorrência registrado por uma moradora.

“Ela achou que eu poderia ter mandado fazer o desenho para promover a cidade, mas é humanamente impossível”.

Luzes no céu

O Brasil já protagonizou outros eventos ufológicos. No dia 19 de maio de 1986, por cerca de três horas, militares da Força Aérea Brasileira (FAB) registraram mais de 20 objetos voadores não identificados nos céus de quatro Estados (Goiás, São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná).

O evento ficou conhecido como "A noite oficial dos OVNIs". A Aeronáutica chegou a reconhecer o ocorrido em entrevista coletiva.

Antes disso, em 1977, o extinto órgão Serviço Nacional de Informações (SNI) mobilizou a "Operação Prato", uma missão de caça aos OVNIs, liderada pela Aeronáutica no Pará e Maranhão.

Jornais locais da época citavam a ocorrência de luzes misteriosas, que geravam mortes e alucinações.

Desafio Em Dose Dupla BRASIL - Ep Nº 01 Discovery Channel

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Gal Costa - Chuva de Prata

O homem que roubou o Natal de Jesus

O Natal é uma verdadeira cilada. TVs, jornais, familiares, tudo conspira para que você se sinta tomado pelo “espírito natalino”, que se traduz em: se meter em shoppings abarrotados de gente para comprar coisas que sairiam pela metade do preço no mês seguinte(...)
No shopping próximo à minha casa, o tema da decoração de Natal é “a floresta encantada de Papai Noel”. Juro que procurei entre as folhagens de plástico, as girafas de pelúcia e os chimpanzés músicos para ver se o achava, mas não encontrei Jesus. Nada de Maria, José, do anjo, dos reis Magos e das cabras, bois e vacas. Nada que se assemelhasse a uma manjedoura. Enfim, nada de Natal na decoração de Natal.
Fiquei pensando quando foi que o menino Jesus deixou de ser protagonista de sua própria festa de aniversário. Jesus, o profeta a quem, pelo menos nas estatísticas, um terço da humanidade dedica sua fé, faz uma ponta no Natal hoje em dia. A figura central, a grande estrela da maior festa do mundo cristão é um velho barbudo de aparência nórdica que só criancinhas acreditam que exista. E, aparentemente, ninguém está nem aí.

O Natal é uma verdadeira cilada. TVs, jornais, familiares, tudo conspira para que você se sinta tomado pelo “espírito natalino”, que se traduz em: se meter em shoppings abarrotados de gente para comprar coisas que sairiam pela metade do preço no mês seguinte. Mesmo que você não queira participar, é obrigado a seguir o fluxo porque não quer que seus filhos cresçam traumatizados por não ganhar presente quando todo mundo recebe –do Papai Noel, claro, aquele gordinho que espera o ano todo por este bico, suarento debaixo da roupa vermelha e da barba branca em pleno verão brasileiro.

Aliás, a disparidade entre o que se construiu como “Natal” no hemisfério Norte e a realidade dos trópicos é um mico à parte. Bonecos de neve de feltro, de gorro, cachecol e cenoura no lugar do nariz, se espalham pelo País e tomam de assalto até as repartições públicas, enquanto as secretárias se abanam de calor. O “jeitinho” brasileiro se desdobra para recriar a atmosfera gélida, condição sine qua non para que o “espírito natalino” baixe, e dá-lhe neve de pipoca, de isopor, de algodão… Tenho certeza que nunca seremos uma nação de fato enquanto precisarmos macaquear um clima que não é nosso para conseguir algo tão singelo quanto o congraçamento familiar.

Não conheço nenhuma festa religiosa no mundo cujas principais manifestações sejam gastar muito dinheiro, comer para caramba e encher a cara. A festa máxima dos cristãos é a festa religiosa mais capitalista do planeta. E olhem que a mensagem de Cristo era o exato oposto. Não foi o filho de Deus quem expulsou os vendilhões do templo? Não foi ele quem disse que “é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus”? Quer mensagem menos capitalista do que esta?
Mas falar dessas coisas é querer estragar a festa, quebrar a “magia” do Natal –muito embora a única visível seja o mágico tilintar das caixas registradoras. Para o comércio, a data é uma bênção. Para as igrejas, o mundo do dinheiro nunca foi exatamente um incômodo e pode, afinal de contas, render belos donativos. Tampouco parece ser um empecilho que os fiéis gastem todo o 13º salário e se endividem em compras, porque depois engrossarão as fileiras dos que procuram as casas de Deus em busca de conforto não para os flagelos da alma, mas do bolso.

Tem igrejas pentecostais que vivem disso, de oferecer aos crédulos a superação das dívidas financeiras e o sucesso econômico através do poder de Deus. De que lhes serviria abrir os olhos dos fiéis e pregar que o Natal não é sinônimo de gastança? Deixa quieto, Papai Noel é bem mais conveniente que Jesus, até porque não fere suscetibilidades. Sem essa de rico não poder entrar no reino dos céus: seja rico ou seja pobre o velhinho sempre vem, não é mesmo? “Compre, compre. Ho, ho, ho”.

Meu lado cristão (de formação) se revolta de ver que o Natal se transformou nessa pseudo festa religiosa, vazia de significado espiritual. Em vez de se incomodar com a vida íntima do próximo, de tentar interferir na orientação sexual do semelhante ou de se empenhar em lutas surreais como a cruzada contra a proteção da camisinha, as igrejas cristãs deviam se dedicar a repensar sua festa mais importante. Se os cristãos fossem de fato cristãos, tinham de estar preocupados que o nascimento de Jesus perdeu o lugar para o consumismo que o Papai Noel representa. Tentar resgatar a mensagem do Natal: esta, sim, seria uma luta de fato agregadora, digna da data e do aniversariante.

Dá para começar em casa, montando o presépio com as crianças como aconteceu no passado e, no mínimo, explicando a elas que o dono da festa não é o Papai Noel, que não é por causa dele que o Natal existe. Quantos cristãos fazem isso?

Canal do Otário - Censurado na Wikipédia!

Não bastassem as inúmeras censuras que o Canal do Otário frequentemente sofre (como nos casos da NET, CLARO, BRADESCO, TELEXFREE, HERBALIFE, BBOM, CORREIOS), agora, é a vez da página do Canal do Otário na Wikipédia ser censurada!

RJ: Coronel Villares prende sem motivo e ataca a imprensa em ato contra o aumento das passagens

Cachorro ganha 210 garrafas de plástico de presente



Fonte

Banco toma propriedade de agricultor por dívida de R$ 1.300 Reais

O agricultor Marcos Winter de 69 anos de idade, de Matos Costa-SC, emprestou R$ 1.300,00 reais do Banco do Brasil, não conseguiu pagar porque teve uma grande perda no ano, em face de chuvas e outros contratempos. O banco cobrou a dívida e em dado momento ajuizou ação. Durante a ação, o antigo advogado do agricultor, cometeu diversos erros o que contribuiu para a perda da propriedade. Após toda a tramitação do processo, o Banco do Brasil botou a propriedade em leilão, a qual foi arrematada na época por um valor muito abaixo do que valia antes. Hoje, a propriedade deve valer cerca de R$ 250 mil reais.

O despejo e a tristeza

E, seguindo os trâmites 'legais', dada sentença contra o agricultor, o TJ-SC determinou o despejo que foi tremendamente difícil para o senhor de 69 anos de idade e sua família, os quais desde então moram de favor num local cedido temporariamente por uma igreja evangélica.

Alegações da advogada atual do agricultor

Segundo a advogada Danielle Masnik, que pegou o caso, a cobrança foi ilegal porque a dívida já havia sido prescrita. Além do que, o TJ-SC simplesmente ignorou os argumentos dela baseados na constituição federal onde trata da proibição da penhora bens essenciais para a manutenção da família, também não acatando argumentos para anulação da ação. Hoje, a propriedade está sob posse de uma outra advogada que a arrematou em leilão.

O mais absurdo

O mais louco e absurdo disso tudo é que a dívida era de R$ 1.300 (já tinha até sido prescrita, parece), e não poderia ter sido pego toda a propriedade da família que valia muito mais, e sim apenas o correspondente ao valor da dívida, na pior das hipóteses.

"Seu eu devesse toda a propriedade até nem dizia nada, mas só devia R$ 1.300", disse o agricultor em meio à lágrimas.

A propriedade foi tomada e leiloada

O imóvel foi arrematado, em segunda praça pelo preço de R$ 14.250,00 (quatorze mil duzentos e cinquenta reais) (fls. 74/75). (Jus Brasil)

Atualmente, segundo a advogada atual Danielle Masnik, eles aguardam o julgamento de um recurso especial no STJ interposto pela pessoa que arrematou a propriedade e que pode ou não determinar a reintegração de posse  em favor do agricultor.

Antes

"Eles chegaram de manhã, com a polícia e nos tiraram à força...Todo dia me lembro da minha propriedade", chora o pobre homem.

"Ele tinha animais e nem deu tempo, nem deixaram ele tirar os bichos, apenas colocaram tudo numa carroça e o mandaram embora sob ameaças de agressão e de prisão", segundo relatos no vídeo.

Vídeo:

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Homem faz sua ceia de Natal usando animais atropelados em rodovias

O que você acharia de levar à mesa um veado atropelado?

O taxidermista Jonathan McGowan não vê nada de errado nisso e estimula que outras pessoas façam o mesmo.

Ele disse que a visão da ceia da Natal precisa mudar. Muitos ambientalistas são contra as técnicas de taxidermia que usa produtos químicos para deixar um animal empalhado como uma estátua.

Jonathan usa faisão, veado e qualquer outro animal que esteja atropelado e jogado nas estradas, mesmo que o acidente tenha sido grave. Ele afirma que mais pessoas deveriam ter coragem de ir nas estradas e recolher os animais para se alimentar.

“Eu incentivo as pessoas a fazerem isso. É melhor do que deixar o animal jogado ficando podre”, disse.

Ele é um consultor da vida selvagem. Com seus 46 anos, o morador da cidade de Bournemouth, Inglaterra, disse que terá uma ceia “gordinha” com veado e faisão atropelados, legumes orgânicos e cogumelos frescos cultivados em casa.

Ele afirma ainda que o faisão tem o mesmo gosto que o peru e não existe necessidade de comprar se é possível encontrar nas estradas da cidade.

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Menino com QI de Einstein já leu 600 livros aos 4 anos

Menino de 4 anos com QI de Einstein começou a falar aos dez meses e já leu mais de 600 livros. Sherwyn Sarabi entrou para o 'clube dos superdotados'
Um menino de 4 anos está sendo apontado como um futuro Einstein depois de alcançar 160 pontos no teste de inteligência QI (a mesma pontuação de Albert Einstein e Stephen Hawking) e mostrar ser capaz de contar até 200, ler mais de 600 livros em seis meses, resolver operações matemáticas e citar todos os países do mundo. Sherwyn Sarabi foi a primeira criança a ganhar uma bolsa de estudos de 100% para uma escola de elite do Reino Unido e frequenta uma classe de crianças com o dobro de sua idade.

Aos três anos ele se tornou membro da Mensa, a famosa sociedade que reúne pessoas com altos quocientes de inteligência do mundo. Sherwyn começou a falar aos dez meses, e segundo os médicos tem idade mental de oito anos e nove meses, mais que o dobro da idade biológica.

“Ele tem um nível muito superior de inteligência, é muito talentoso e seu vocabulário é muito vasto para esta idade”, afirma o psicólogo Peter Congdon em entrevista ao jornal Daily Mail. “Seu intelecto reage aos mais alto niveis de racionalidade e quando ele fala mostra habilidades de uma criança muito mais velhs. É muito raro ter uma criança com esse tipo de inteligência.

O menino mora em South Yorkshire, Inglaterra, e enquanto a maioria das crianças de sua idade ainda não foi para a escola, ele já frequenta as aulas para alunos de nove anos na Rastrick Independent School, em Huddersfield.
A mãe de Sherwyn, Amanda Sarabi, foi professora e diz que o filho “é uma criança saudável muito feliz e adora falar”.

“Ele questiona tudo e eu tenho feito o meu melhor para responder às suas perguntas para o melhor de meu conhecimento.”

Impostos consumiram 35,85% da renda do brasileiro em 2012

Link

Manifestação no Rio pede tarifa zero no transporte coletivo

Mais uma manifestação toma conta do Centro do Rio, nesta sexta-feira. Desta vez, os manifestantes pedem tarifa zero no transporte coletivo da cidade. O ponto de encontro foi na Igreja da Candelária.

Centenas de pessoas caminharam pela Avenida Rio Branco em direção à Cinelândia, acompanhadas de perto porpoliciais militares.

Os manifestantes gritavam palavras de ordem, pedindo que a prefeitura custeie o transporte público e não reajuste as tarifas em 2014.

Mais cedo, o Tribunal de Contas do Município recomendou que a prefeitura carioca não reajuste o valor das passagens de ônibus, enquanto o órgão analisa a auditoria feita nas empresas de transporte.

“Isso, mais uma vez, prova que a nossa luta tem legitimidade e tem fundamento, o pessoal está se manifestando contra esse aumento”, disse o estudante, que se identificou apenas como Rodrigo, ao comentar a decisão do tribunal. Ele é integrante do Movimento Passe Livre.

Fonte

Papai Noel da vida real: Mendigo de 98 anos doa tudo o que ganha com esmolas para a caridade

 Essa é, sem dúvida, uma história emocionante e inspiradora.

O búlgado Elder Dobri Dobrev, de 98 anos, apelidado pela imprensa do país como “vovô Dobri” surpreendeu o mundo  ao ter sua história relatada. Ele é morador de uma pequena cidade chamada Bailovo e possui um hábito bastante tocante.

Mesmo estando em situação de máxima vunerabilidade, ele percorre mais de 10 km por dia, indo até a capital Sófia para pedir esmolas aos transeuntes.

Ele é considerado um “avô” por muitos moradores, por seu jeito doce. Ele costuma dar um beijo na palma das mãos de todos que o ajudam, independente do valor.
Chamado em Sófia, capital da Bulgária, como “Papai Noel da vida real”, ele ganhou as páginas dos jornais e especiais nos principais canais de TV após fazer uma doação surpreendente de R$ 82 mil reais para a Igreja Catedral de St. Alexander Nevski.

Ele é aposentado e vive com apenas R$ 324,00 reais por mês. A igreja declarou que nunca, desde sua fundação, recebeu uma doação tão expressiva.

Seu comportamento é considerado por muitos sociólogos como um exemplo de consciência social. Ele está satisfeito em viver com o pouco de sua aposentadoria, mas sente-se incomodado com injustiças sociais.
Em um documentário sobre sua vida, divulgada no Youtube, ele declara: “O homem tem sempre duas vontades. Em si mesmo e em cada momento de sua vida. A vontade de fazer o bem e a vontade de fazer o mal. Basta escolher”.

Confira o vídeo abaixo com legendas em inglês:

O que se come no café da manhã ao redor do mundo?

Link

Vídeo tocante de um gatinho sendo resgatado de incêndio

Fonte e mais informações

10 fatos chocantes sobre os EUA

1. Maior população prisional do mundo

Elevando-se desde os anos 80, a surreal taxa de encarceramento dos EUA é um negócio e um instrumento de controle social: à medida que o negócio das prisões privadas alastra-se como uma gangrena, uma nova categoria de milionários consolida seu poder político. Os donos destas carcerárias são também, na prática, donos de escravos, que trabalham nas fábricas do interior das prisões por salários inferiores a 50 cents por hora. Este trabalho escravo é tão competitivo, que muitos municípios hoje sobrevivem financeiramente graças às suas próprias prisões, aprovando simultaneamente leis que vulgarizam sentenças de até 15 anos de prisão por crimes menores como roubar chicletes. O alvo destas leis draconianas são os mais pobres, mas, sobretudo, os negros, que representando apenas 13% da população norte-americana, compõem 40% da população prisional do país.

2. 22% das crianças americanas vive abaixo do limiar da pobreza.

Calcula-se que cerca de 16 milhões de crianças norte-americanas vivam sem “segurança alimentar”, ou seja, em famílias sem capacidade econômica para satisfazer os requisitos nutricionais mínimos de uma dieta saudável. As estatísticas provam que estas crianças têm piores resultados escolares, aceitam piores empregos, não vão à universidade e têm uma maior probabilidade de, quando adultos, serem presos.

3. Entre 1890 e 2012, os EUA invadiram ou bombardearam 149 países.

O número de países nos quais os EUA intervieram militarmente é maior do que aqueles em que ainda não o fizeram. Números conservadores apontam para mais de oito milhões de mortes causadas pelo país só no século XX. Por trás desta lista, escondem-se centenas de outras operações secretas, golpes de Estado e patrocínio de ditadores e grupos terroristas. Segundo Obama, recipiente do Nobel da Paz, os EUA conduzem neste momente mais de 70 operações militares secretas em vários países do mundo.

O mesmo presidente criou o maior orçamento militar norte-americano desde a Segunda Guerra Mundial, superando de longe George W. Bush.

4. Os EUA são o único país da OCDE que não oferece qualquer tipo de subsídio de maternidade.

Embora estes números variem de acordo com o Estado e dependam dos contratos redigidos por cada empresa, é prática corrente que as mulheres norte-americanas não tenham direito a nenhum dia pago antes ou depois de dar à luz. Em muitos casos, não existe sequer a possibilidade de tirar baixa sem vencimento. Quase todos os países do mundo oferecem entre 12 e 50 semanas pagas em licença maternidade. Neste aspecto, os Estados Unidos fazem companhia à Papua Nova Guiné e à Suazilândia.

5. 125 norte-americanos morrem todos os dias por não poderem pagar qualquer tipo de plano de saúde.

Se não tiver seguro de saúde (como 50 milhões de norte-americanos não têm), então há boas razões para temes ainda mais a ambulância e os cuidados de saúde que o governo presta. Viagens de ambulância custam em média o equivalente a 1300 reais e a estadia num hospital público mais de 500 reais por noite. Para a maioria das operações cirúrgicas (que chegam à casa das dezenas de milhar), é bom que possa pagar um seguro de saúde privado. Caso contrário, a América é a terra das oportunidades e, como o nome indica, terá a oportunidade de se endividar e também a oportunidade de ficar em casa, torcendo para não morrer.

6. Os EUA foram fundados sobre o genocídio de 10 milhões de nativos. Só entre 1940 e 1980, 40% de todas as mulheres em reservas índias foram esterilizadas contra sua vontade pelo governo norte-americano.

Esqueçam a história do Dia de Ação de Graças com índios e colonos partilhando placidamente o mesmo peru em torno da mesma mesa. A História dos Estados Unidos começa no programa de erradicação dos índios. Tendo em conta as restrições atuais à imigração ilegal, ninguém diria que os fundadores deste país foram eles mesmos imigrantes ilegais, que vieram sem o consentimento dos que já viviam na América. Durante dois séculos, os índios foram perseguidos e assassinados, despojados de tudo e empurrados para minúsculas reservas de terras inférteis, em lixeiras nucleares e sobre solos contaminados. Em pleno século XX, os EUA iniciaram um plano de esterilização forçada de mulheres índias, pedindo-lhes para colocar uma cruz num formulário escrito em idioma que não compreendiam, ameaçando-as com o corte de subsídios caso não consentissem ou, simplesmente, recusando-lhes acesso a maternidades e hospitais. Mas que ninguém se espante, os EUA foram o primeiro país do mundo oficializar esterilizações forçadas como parte de um programa de eugenia, inicialmente contra pessoas portadoras de deficiência e, mais tarde, contra negros e índios.

7. Todos os imigrantes são obrigados a jurarem não ser comunistas para poder viver nos EUA.

Além de ter que jurar não ser um agente secreto nem um criminoso de guerra nazi, vão lhe perguntar se é, ou alguma vez foi membro do Partido Comunista, se tem simpatias anarquista ou se defende intelectualmente alguma organização considerada terrorista. Se responder que sim a qualquer destas perguntas, será automaticamente negado o direito de viver e trabalhar nos EUA por “prova de fraco carácter moral”.

8. O preço médio de uma licenciatura numa universidade pública é 80 mil dólares.

O ensino superior é uma autêntica mina de ouro para os banqueiros. Virtualmente, todos os estudantes têm dívidas astronômicas, que, acrescidas de juros, levarão, em média, 15 anos para pagar. Durante esse período, os alunos tornam-se servos dos bancos e das suas dívidas, sendo muitas vezes forçados a contrair novos empréstimos para pagar os antigos e assim sobreviver. O sistema de servidão completa-se com a liberdade dos bancos de vender e comprar as dívidas dos alunos a seu bel prazer, sem o consentimento ou sequer o conhecimento do devedor. Num dia, deve-se dinheiro a um banco com uma taxa de juros e, no dia seguinte, pode-se dever dinheiro a um banco diferente com nova e mais elevada taxa de juro. Entre 1999 e 2012, a dívida total dos estudantes norte-americanos cresceu à marca dos 1,5 trilhões de dólares, elevando-se assustadores 500%.

9. Os EUA são o país do mundo com mais armas: para cada dez norte-americanos, há nove armas de fogo.

Não é de se espantar que os EUA levem o primeiro lugar na lista dos países com a maior coleção de armas. O que surpreende é a comparação com outras partes do mundo: no restante do planeta, há uma arma para cada dez pessoas. Nos Estados Unidos, nove para cada dez. Nos EUA podemos encontrar 5% de todas as pessoas do mundo e 30% de todas as armas, algo em torno de 275 milhões. Esta estatística tende a se elevar, já que os norte-americanos compram mais de metade de todas as armas fabricadas no mundo.

10. Há mais norte-americanos que acreditam no Diabo do que os que acreditam em Darwin.

A maioria dos norte-americanos são céticos. Pelo menos no que toca à teoria da evolução, já que apenas 40% dos norte-americanos acreditam nela. Já a existência de Satanás e do inferno soa perfeitamente plausível a mais de 60% dos norte-americanos. Esta radicalidade religiosa explica as “conversas diárias” do ex-presidente Bush com Deus e mesmo os comentários do ex-pré-candidato republicano Rick Santorum, que acusou acadêmicos norte-americanos de serem controlados por Satã.

Sete fatos políticos e pessoais de Mujica que devem ser seguidos de exemplo

O ano de 2013 foi um ano emblemático no Uruguai. Veja alguns fatos políticos e pessoais de Mujica que devem ser seguidos de exemplo
José "Pepe" Mujica caminhando pelo seu sitio

1. Legalização da maconha
Após uma jornada burocrática, chegou em 11 de dezembro no Senado a "Lei da Maconha". Por 16 votos a favor e 13 contra  a lei foi aprovada. O pequeno país sul-americano de Mujica será o primeiro do mundo a legalizar e regulamentar a produção, venda e o consumo da marijuana.  Jose Mujica quer que o Estado regule o comércio e uso dessa droga – a quarta mais consumida no país, e a mais consumida no mundo. É importante lembrar que a proibição da maconha não tem critério algum, já que a droga é menos nociva do que outras drogas legalizadas, como álcool, tabaco e alguns remédios psiquiátricos. Nesse artigo você poderá entender melhor como funcionará a produção e venda da maconha.

2. Legalização do Aborto
Entrou em vigor, em 3 de dezembro do ano passado, a Lei da Interrupção Voluntária da Gravidez no país. O texto, que descriminaliza a prática, determina que todas as instituições de saúde públicas e privadas façam o aborto em mulheres que solicitem o procedimento nas primeiras 12 semanas de gestação – prazo que segundo estudo, o feto não sente dor. A aplicação da lei foi um sucesso, em seis meses de legalização, o país não registro mortes de mulheres que abortaram, nesse prazo foram realizados 2.550 abortos legais. No Brasil é diferente, a cada 2 dias, uma brasileira pobre morre por aborto inseguro, um problema de saúde pública ligado à criminalização da interrupção da gravidez.

3. Lei do Casamento Igualitário
Em 5 de agosto desse ano, entrou em vigor a Lei do Casamento Igualitário, que permite a união de casais homossexuais. Essa lei foi aprovada quatro meses antes de entrar em vigor, e teve inclusive respaldo da oposição. O processo é simples e de fácil entendimento. o Registro Civil uruguaio passou a receber inscrições para iniciar os trâmites legais e determinar a data da cerimônia do casamento também de homossexuais. Um grande passo para uma sociedade mais igualitária e menos preconceituosa.

4. Lei de democratização da Mídia
O Uruguai começou em dezembro a enfrentar históricas oligarquias midiáticas e levar a cabo uma lei que democratiza os meios de comunicação. Com 50 votos favoráveis dentre 85 parlamentares presentes, a Câmara dos Deputados encaminhou projeto ao Senado, que deve discuti-lo no começo de 2014. Argentina, Uruguai, Equador e diversos países da América Latina enfrentam a necessidade de democratizar a mídia, já o governo brasileiro encontra-se estagnado no debate do tema. Para compreender melhor o tema, leia na integra o projeto criado e aprovado na Argentina.

5. Doação de salário
Passando agora para algumas atitudes pessoais de Mujica, com certeza uma que chama atenção é o seu desapego financeiro. Sem demagogia, José Mujica doa 90% de seu salário. De cerca de 12.500 dólares mensais por seu trabalho à frente do país, ele vive com apenas 1.250 dólares (2.538 reais ou 25.824 pesos uruguaios). Isso contrasta bastante com o cenário salarial politico e os constantes ''pedidos de aumento''. Sobre o pouco salário que lhe resta, Mujica diz: “Este dinheiro me basta, e tem que bastar porque há outros uruguaios que vivem com menos”.

6. Residência oficial para abrigar moradores de rua
José Mujica ofereceu em Junho deste ano, sua residência oficial para abrigar moradores de rua durante o próximo inverno caso faltasse vagas em abrigos oficiais do governo. Ele pediu que fosse feito um relatório listando os edifícios públicos disponíveis para serem utilizados pelos desabrigados e, após os resultados, avaliaria a necessidade da concessão da sede da Presidência. De acordo com uma revista semanal chamada Búsqueda,  Mujica ainda teria disponibilizado o palácio de Suarez y Reyes, prédio inabitado onde ocorrem apenas reuniões de governo.

7. Adoção de crianças e jovens pobres
Mujica pensa em adotar entre 30 e 40 crianças e jovens pobres para ensinar-lhes a trabalhar com a terra. "Tenho a ideia de agarrar 30 ou 40 guris pobres e levá-los pra viver comigo". Mujica disse que fará isso quando o deixar ''fardo pesado'' da posição presidencial. Vale lembrar que José Mujica deixará o cargo em 1º de março de 2015, já que no Uruguai, a reeleição é proibida.

José "Pepe" Mujica deixará um legado impar quando abandonar seu cargo. Um presidente pobre, carismático e eleito democraticamente que foge a todos os padrões estabelecidos. Devemos aprender com suas atitudes, sua coragem e sua ousadia em defender determinadas posições, consideradas hoje em dia, como absurdas, apesar de serem obvias.

Esses vídeos vão fazer você querer ter um pato em casa!

Fonte e mais informações

Chuvas no Espírito Santo - O que a TV não mostra!

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

'A Bitcoin pode destruir o dólar', afirma Ron Paul, ex-deputado norte-americano

Link

Dirceu mudou cinco vezes a razão social de sua empresa

Link

Acreano cria moto que usa combustível à base de água e faz 60 km por litro

Após ler um artigo na internet sobre uma motocicleta que utilizava água como combustível, o cineasta acreano Delande Holanda ficou pensando se seria realmente possível. A curiosidade o levou a estudar e fazer diversas experiências até conseguir fabricar sua primeira moto que funciona parcialmente à base de água.

“Isso tudo iniciou quando vi um artigo que dizia que seria possível retirar um combustível alternativo à base de água. Comecei a partir daí a fazer um estudo sobre isso. A gente sabe que a água é formada por H2O [ dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio] e sabe também que o hidrogênio queima. Diante disso, achei que seria possível tirar um combustível da água”, conta.
Mas o grande desafio para Holanda foi descobrir como utilizar esse hidrogênio presente na água como combustível. A resposta ele diz ter encontrado relembrando os tempos de escola.

“A gente vê isso em ciências na 5ª série do ensino fundamental. Se você pegar duas chapas de aço, colocar uma pilha, ligar um fio nos pólos negativo e positivo e jogar água entre essas placas, vai conseguir separar o hidrogênio da água”, explica.

A partir desse conceito, ele começou a fazer estudos e montar a sua ‘célula geradora de hidrogênio’, que ele batizou como Nativos HHO. “Eu engano o carburador e ele queima o hidrogênio como se fosse gasolina”, diz.

‘Ameaça de separação’
Acreano cria moto que usa combustível à base de água e faz 60 km por litro 2 Made in ACRE! Conheça a moto que usa combustível à base de água   Curiosidades 

 Durante quase um ano o inventor trabalhou para montar seu protótipo, o que ainda quase lhe custou alguns amigos e o casamento. “Fui tratado como doido, disseram para que eu parasse com isso. E houve até uma ameaça de separação, porque é meio difícil acreditar nisso”, conta.

Porém, ele não desistiu do projeto. Sem formação em engenharia ou mecânica, ele contou com a ajuda de um amigo mecânico para desenvolver os experimentos e o primeiro protótipo ficou pronto no mês de novembro.

De acordo com o inventor, depois que adaptou a moto ele conseguiu uma economia de 40% no uso de combustível. “Se antes eu rodava 35 km com 1 litro de gasolina, hoje rodo 60 km”, diz.

Combustível sustentável

O cineasta diz que agora pretende aprimorar os experimentos para conseguir adaptar sua moto para que ela funcione totalmente a partir da queima do hidrogênio. Ele ainda quer fazer testes em veículos maiores como carros.

E para quem pensa que Holanda resolveu investir na ideia com objetivo de ficar rico, ele explica que não é bem assim.

“Não fiz isso com interesse comercial. Existem muitas pessoas querendo, mas estou evitando porque não existe estudo finalizado para isso. Quero que vejam como uma coisa boa para o meio ambiente, levando em conta que se hoje tiro 40% do consumo da gasolina, tiro 40% da poluição que esse combustível iria emitir e não precisa ser ‘Expert’ para saber que é um combustível limpo”, afirma.

Acreano cria moto que usa combustível à base de água e faz 60 km por litro 3 Made in ACRE! Conheça a moto que usa combustível à base de água Curiosidades

Ele diz que com o invento quer estimular uma discussão sobre a utilização de combustíveis menos agressivos ao ecossistema. “Quero mostrar para a sociedade que existe sim um combustível limpo que pode ser estudado e inserido no mercado como combustível alternativo à base de água. Já que água é o que mais temos na Amazônia”, enfatiza.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

O que está por trás do mapa do mundo de Piri Reis? Um dos mapas mais misteriosos do mundo

  
O mapa de Piri Reis pode ser considerado um dos objetos mais enigmáticos da história da escrita do homem.

Apesar de apenas restarem fragmentos deste documento que, certamente, era um mapa do  mundo completo, pode-se afirmar que se trata de um mapa do ano de 1513, elaborado pelo cartógrafo e almirante otomano Piri Reis, em que constam desenhos de terras impossíveis de serem conhecidas na época.

Não existe um consenso científico que explique como apenas poucos anos depois da chegada dos europeus à América alguém poderia descrever com tanta precisão pontos geográficos como a Cordilheira dos Antes, a Costa Leste dos Estados Unidos, o rio Amazonas, a Patagônia argentina, a mítica Terra do Fogo e, o que é ainda mais intrigante, o continente antártico sem gelo e com detalhes sobre a sua topográfica, alguns desconhecidos até hoje.

Para adicionar ainda mais ingredientes ao mistério, o marinheiro otomano alegou ter se baseado nos conhecimentos dos "antigos reis dos mares", um histórico pseudônimo para a civilização de Atlântida.

Realmente é difícil encontrar uma resposta que explique como que naquela época era possível alguém saber que a Terra do Fogo, no extremo sul do continente americano, está ligada por uma estreita faixa de terra submarina ao continente antártico, fato que só se tornou conhecido no século passado com uso de imagens de satélite, submarinos e câmeras infravermelhas.

De acordo com especialistas, para observar alguma coisa do tipo, Reis deveria ter visitado o lugar há 11 mil anos, antes que as linhas costeiras, detalhadas com perfeição em seu mapa, estivessem cobertas por camadas de gelo com dois quilômetros de espessura.

Porém, há ainda algo mais curioso neste mapa. Na parte sobre o continente africano, estão alguns rios caudalosos que atravessam a região que hoje é o deserto do Saara.

Os estudos modernos indicam que esta mesma região era banhada por grandes rios há mais de 8 mil anos, que atravessavam grandes extensões de terra. Diante de todos estes fatos, a grande pergunta é: como era possível saber isso tudo no ano de 1513?

Brasil terá estádios mais caros do mundo, diz estudo

Link

Jornal mostra castelos na Europa mais baratos que casas no Brasil

Link

Cão pula em trilhos de metrô para salvar dono cego após queda

O cão-guia Orlando, um labrador retriever preto, corajosamente saltou nos trilhos em um metrô de Manhattan na terça-feira depois que seu dono cego perdeu consciência e caiu enquanto um trem se aproximava.

Cecil Williams, 61, e Orlando escaparam de ficar com sérios ferimentos quando o trem passou acima dos dois – um final milagroso para uma situação angustiante que começou quando Williams começou a se sentir mal quando ia ao dentista.

“Ele tentou me segurar”, disse um emocionado Williams à Associated Press em sua cama no hospital, a voz embargando algumas vezes.

Testemunhas disseram que Orlando começou a latir freneticamente e tentou evitar que Williams caísse da plataforma. Matthew Martin afirmou ao New York Post que Orlando saltou para os trilhos e tentou levantar Williams mesmo enquanto o trem se aproximava. “Ele o lambia, tentando fazer com que se movesse”, disse Martin.

Testemunhas pediram ajuda, e o maquinista desacelerou enquanto Williams e Orlando deitaram no vão que fica entre os trilhos. “O cão salvou minha vida”, disse Williams.

Enquanto Williams recuperava a consciência, ouviu alguém lhe pedir que não se movesse. Funcionários de emergência o colocaram em uma maca e o retiraram do metrô, além de assegurarem que Orlando não estava muito ferido.

“Me sinto maravilhado”, disse Williams. “Sinto que Deus, uma força maior, tem algo reservado para mim. Não morri dessa vez. Estou aqui por uma razão.”

A Carta de Snowden ao Brasil na íntegra

CARTA ABERTA AO POVO DO BRASIL
EDWARD SNOWDEN

Seis meses atrás, emergi das sombras da Agência Nacional de Segurança (NSA) dos EUA para me posicionar diante da câmera de um jornalista. Compartilhei com o mundo provas de que alguns governos estão montando um sistema de vigilância mundial para rastrear secretamente como vivemos, com quem conversamos e o que dizemos.

Fui para diante daquela câmera de olhos abertos, com a consciência de que a decisão custaria minha família e meu lar e colocaria minha vida em risco. O que me motivava era a ideia de que os cidadãos do mundo merecem entender o sistema dentro do qual vivem.
 
Meu maior medo era que ninguém desse ouvidos ao meu aviso. Nunca antes fiquei tão feliz por ter estado tão equivocado. A reação em certos países vem sendo especialmente inspiradora para mim, e o Brasil é um deles, sem dúvida.

Na NSA, testemunhei com preocupação crescente a vigilância de populações inteiras sem que houvesse qualquer suspeita de ato criminoso, e essa vigilância ameaça tornar-se o maior desafio aos direitos humanos de nossos tempos.

A NSA e outras agências de espionagem nos dizem que, pelo bem de nossa própria “segurança” –em nome da “segurança” de Dilma, em nome da “segurança” da Petrobras–, revogaram nosso direito de privacidade e invadiram nossas vidas. E o fizeram sem pedir a permissão da população de qualquer país, nem mesmo do delas.

Hoje, se você carrega um celular em São Paulo, a NSA pode rastrear onde você se encontra, e o faz: ela faz isso 5 bilhões de vezes por dia com pessoas no mundo inteiro.

Quando uma pessoa em Florianópolis visita um site na internet, a NSA mantém um registro de quando isso aconteceu e do que você fez naquele site. Se uma mãe em Porto Alegre telefona a seu filho para lhe desejar sorte no vestibular, a NSA pode guardar o registro da ligação por cinco anos ou mais tempo.

A agência chega a guardar registros de quem tem um caso extraconjugal ou visita sites de pornografia, para o caso de precisarem sujar a reputação de seus alvos.

Senadores dos EUA nos dizem que o Brasil não deveria se preocupar, porque isso não é “vigilância”, é “coleta de dados”. Dizem que isso é feito para manter as pessoas em segurança. Estão enganados.

Existe uma diferença enorme entre programas legais, espionagem legítima, atuação policial legítima –em que indivíduos são vigiados com base em suspeitas razoáveis, individualizadas– e esses programas de vigilância em massa para a formação de uma rede de informações, que colocam populações inteiras sob vigilância onipresente e salvam cópias de tudo para sempre.

Esses programas nunca foram motivados pela luta contra o terrorismo: são motivados por espionagem econômica, controle social e manipulação diplomática. Pela busca de poder.

Muitos senadores brasileiros concordam e pediram minha ajuda com suas investigações sobre a suspeita de crimes cometidos contra cidadãos brasileiros.

Expressei minha disposição de auxiliar quando isso for apropriado e legal, mas, infelizmente, o governo dos EUA vem trabalhando arduamente para limitar minha capacidade de fazê-lo, chegando ao ponto de obrigar o avião presidencial de Evo Morales a pousar para me impedir de viajar à América Latina!

Até que um país conceda asilo político permanente, o governo dos EUA vai continuar a interferir com minha capacidade de falar.

Seis meses atrás, revelei que a NSA queria ouvir o mundo inteiro. Agora o mundo inteiro está ouvindo de volta e também falando. E a NSA não gosta do que está ouvindo.

A cultura de vigilância mundial indiscriminada, que foi exposta a debates públicos e investigações reais em todos os continentes, está desabando.

Apenas três semanas atrás, o Brasil liderou o Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas para reconhecer, pela primeira vez na história, que a privacidade não para onde a rede digital começa e que a vigilância em massa de inocentes é uma violação dos direitos humanos.

A maré virou, e finalmente podemos visualizar um futuro em que possamos desfrutar de segurança sem sacrificar nossa privacidade.

Nossos direitos não podem ser limitados por uma organização secreta, e autoridades americanas nunca deveriam decidir sobre as liberdades de cidadãos brasileiros.

Mesmo os defensores da vigilância de massa, aqueles que talvez não estejam convencidos de que tecnologias de vigilância ultrapassaram perigosamente controles democráticos, hoje concordem que, em democracias, a vigilância do público tem de ser debatida pelo público.

Meu ato de consciência começou com uma declaração: “Não quero viver em um mundo em que tudo o que digo, tudo o que faço, todos com quem falo, cada expressão de criatividade, de amor ou amizade seja registrado. Não é algo que estou disposto a apoiar, não é algo que estou disposto a construir e não é algo sob o qual estou disposto a viver.”

Dias mais tarde, fui informado que meu governo me tinha convertido em apátrida e queria me encarcerar. O preço do meu discurso foi meu passaporte, mas eu o pagaria novamente: não serei eu que ignorarei a criminalidade em nome do conforto político. Prefiro virar apátrida a perder minha voz.

Se o Brasil ouvir apenas uma coisa de mim, que seja o seguinte: quando todos nos unirmos contra as injustiças e em defesa da privacidade e dos direitos humanos básicos, poderemos nos defender até dos mais poderosos dos sistemas.

Carta da minha vó pro meu pai

Luciano,

Lembro-me, tu contavas esórias, em diário e em quadrinhos.
Desenhavas bem certinho máquinas, gente e avião.
Eram naves, do teu jeito, computadores, tudo em animação.
Com legenda e tudo mais, em revistas,
Teu próprio mundo, feito à mão.
Gente se movimentando, falando.
Uma maravilha!
Com toda ciência.
Muito além do que se pensa, era tua imaginação.
Um gênio, eu diria, pela idade que tinhas, sem nem ver televisão.
De verdade viajavas, para outra dimensão.
Tu ias, em realidade e descrevias, p'ra gente, como era a vida lá.
Ruas suspensas, fora do chão, nunca aqui projetadas.
As pessoas moravam em casas diferente.
A beleza era constante, como música no ar.
Tudo transparente.
Falavas palavras, que só Deus sabia o que.
Descontraído, ninguém estranho p'ra ti.
Nenhum bloqueio havia.
P'ra que?
Nem 7 anos tinhas, aos cinco, já tudo entendias.
Filosofavas também, querendo explicar a vida, sem nada indagar.
Muita verdade foi dita na boca de um menino.
Lá pelas tantas, adolescência chegando, teu mundo foi fechando.
Vindo a razão.
As tendências ficaram, os computadores também.
Tudo é computação.
A criança se foi, o homem ficou.
Engraçado, antigamente tu sabias de tudo, no teu limbo inconsciente.
Hoje, adulto, queres tudo saber!
Por que não voltas a ser criança de novo?

Ellen Carneiro Vale, 22-05-95

Experimento mostra como uma bateria soa diferente em cada lugar

Fonte e mais informações

Você está sendo vigiado



Fonte e mais informações

Um músico sem mãos que vai motivar você!


Fonte e mais informações

Projeto fotográfico apresenta as mais variadas escolas ao redor do mundo

Inglaterra – 1º ano
 

Inglaterra – 6º ano
 

Inglaterra – 7º ano
 

Arábia Saudita – Jardim de Infância
 

Iêmen – 2º ano
 

Catar – 8ª série
 
 
Brasil – 4ª série
 

Argentina – 4ª série
 

Peru – 4ª série
 

Estados Unidos – 4ª e 5ª série
 

Nigéria – Estudos sociais nível 2
 

Japão – 5ª série
 

Cuba – 9ª série
 

Alemanha – 7ª série
 

Para conferir outras fotos desse ensaio, acesse a página oficial de Julian Germain.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Vídeo no estilo “uma foto por dia” acaba com uma surpresa emocionante



Fonte e mais informações

Como uma cachorra resgatada em estado terminal mudou vida de um garoto autista

A história é comovente e parece tirada de filme: Jonny Hickey era um menino de 8 anos, isolado e solitário, devido ao autismo de que sofre. Há alguns meses, uma pequena cadela foi encontrada em estado incrivelmente frágil na beira da estrada e foi acolhida por uma instituição de proteção de animais. Jonny e Xena, a cadela, acabariam por mudar a vida um do outro.

A luta e a recuperação extraordinária da cadela, uma mistura de Staffordshire Terrier e Pit Bull, lhe valeram o nome de Xena, a filhote guerreira, por ela ter sobrevivido depois de a morte a ter ameaçado. A sua fama chegou ao Facebook, onde tem milhares de seguidores, e a instituição decidiu fazer um encontro onde ela pudesse conviver com os admiradores e ser adotada. A honra coube à família de Jonny.

Hoje, passados apenas alguns meses, a mãe do menino não tem dúvidas de que o filho nunca foi tão feliz. Ele começou conversando, cantando e demonstrando, pela primeira vez, interesse no mundo que o rodeia. A família gastou milhares de dólares em terapia para Jonny, que afinal podia ser substituída por um outro remédio, bem mais simples e barato: a amizade leal que só um cachorro poderia oferecer.
JonnyeXena1
JonnyeXena2
JonnyeXena3
JonnyeXena4
JonnyeXena5
JonnyeXena6
JonnyeXena7
JonnyeXena8
JonnyeXena9
JonnyeXena10
JonnyeXena11



Fonte